Um papel de parede reciclável que produz energia

papel de parede reciclável que produz energia

E se o papel de parede ou de decoração doméstica pudesse produzir eletricidade? Ter energia limpa em casa seria ainda mais fácil. Uma possibilidade dessas fica um pouco mais perto da realidade para uma equipe de cientistas finlandeses que criaram uma "folha" especial, feita com materiais orgânicos, capaz de transformar a luz solar em energia elétrica, que pode ser usada tanto dentro como fora das casas.

Os cientistas do VTT Technical Research Centre já desenvolveram um protótipo de uma árvore que coleta energia solar do ambiente e a converte em energia para alimentar pequenos dispositivos, como telefones celulares, desumidificadores, termômetros e lâmpadas LED.

O protótipo se assemelha a uma pequena árvore com muitas folhas decoradas. Elas são realmente feitas de painéis solares flexíveis através de um simples processo de impressão.

Arvore VTT

As folhas formam a fiação de um sistema eletrônico completo, que conduz a energia de um conversor que por sua vez fornece energia elétrica para os dispositivos. O tronco é feito com impressão 3D usando biomateriais a base de madeira, especialmente desenvolvidos pela VTT.

Detalhe folha VTT

E o sistema base do papel de parede é igual ao da árvore. O VTT desenvolveu e utilizou um método de produção em massa com base em tecnologias de impressão para a produção de painéis fotovoltaicos orgânicos decorativos.

O novo método torna possível a criação de elementos de design de interiores. Os painéis podem, por exemplo, ser colocados sobre as janelas e as paredes da casa, mas também em carros e cartazes publicitários.

O painel solar produzido pelo VTT tem uma espessura de cerca de 0,2 mm e no seu interior também se incluem os eletrodos e as camadas de polímero em que a luz é recolhida.

Os pesquisadores testaram a viabilidade do método, imprimindo células fotovoltaicas em forma de folhas. A superfície ativa de uma delas é 0,0144 m2. Duzentas folhas cobrem um metro quadrado de superfície. O resultado? 3,2 ampéres de eletricidade com 10,4 watts de potência em latitudes mediterrâneas.

Os painéis solares foram produzidos com máquinas baseadas em métodos de impressão convencionais, utilizando o método de rolo-a-rolo, o que permite a rápida produção em massa dos produtos: cada máquina pode produzir até 100 metros de película laminada por minuto.

As vantagens? A produção é conveniente, o consumo de material é baixa e, após o uso, os painéis podem ser reciclados.

Simplesmente fantástico!

Leia também: A árvore que produz energia elétrica em Paris

Fonte fotos: VTT