#PolarBearDay: os ursos-polares estão desaparecendo junto com o derretimento das geleiras

Hoje, 27 de fevereiro, é comemorado o Dia Internacional do Urso-Polar, um dos animais mais afetados pela crise climática.

O urso-polar (Ursus maritimus) sempre foi considerado o rei do Ártico mas infelizmente, tornou-se o símbolo da mudança climática, pois é tão dependente do gelo que atua como um indicador dos efeitos do aquecimento global.

Os ursos-polares dependem do gelo do mar para caçar, se mover, se reproduzir e construir seus antros, mas devido ao aquecimento global, e ao consequente derretimento das geleiras, está cada vez mais difícil para eles sobreviverem.

Um estudo recente publicado na Ecological Applications fez um balanço da situação trágica dos ursos-polares. A população de ursos na Baía de Hudson, no Canadá, encolheu 30% entre 1987 e 2017 e pode diminuir ainda em mais 30% até 2050.

Os pesquisadores monitoraram 352 ursos polares ao longo do tempo, descobrindo que, precisamente por causa do derretimento das geleiras, eles estão se tornando mais magros, se reproduzem menos e a população está em perigoso declínio, perto da extinção.

Entre 2009 e 2015, devido à diminuição do gelo, os ursos-polares passaram em média 30 dias mais no continente do que no período de 1991 a 1997.

Urso-polar

Urso-polar

Passar mais tempo na terra se traduz em menos oportunidades de caça e, consequentemente, em desnutrição: dos 352 ursos analisados, 50 deles sequer tinham peso adequado.

A magreza excessiva afeta vários aspectos da vida dos ursos, incluindo sua saúde geral e a capacidade reprodutiva deles.

Além disso, a falta de recursos leva os ursos a se aproximarem das áreas habitadas, aumentando o conflito entre ursos e humanos.

Segundo os pesquisadores, para salvar os ursos, é necessário responder rapidamente através de medidas eficazes de conservação. Agir depressa contra a crise climática e as causas que estão impulsionando o aquecimento global.

Governos e empresas devem se comprometer a reduzir as emissões de CO2, reduzir drasticamente o uso de combustíveis fósseis e focar na energia de fontes renováveis. Só assim podemos esperar conter o aumento de temperatura e, entre outras coisas, preservar o habitat natural dos ursos-polares e outras espécies.

Você pode fazer sua parte tentando viver uma vida menos consumista, diminuindo sua pegada de CO2 e votando nos candidatos que tenham o meio ambiente como pauta primordial.

Talvez te interesse ler também:

Para salvar o planeta, seu voto vale mais do que a sua dieta

As tristes imagens de urso-polares brincando com lixo plástico no Alasca

Urso-polar é encontrado em centro industrial na Sibéria

greenMe.com.br é uma revista brasileira online, de informação e opinião Editada também na Itália como greenMe.it