Olha como é um buraco negro. A primeira foto da história

  • atualizado: 

Aqui está a primeira imagem de um buraco negro nunca visto pelo homem, até então. Essa conquista foi feita pela colaboração do Event Horizon Telescope (EHT), o chamado “horizonte de eventos”, um esforço global que capturou a primeira foto das bordas de um buraco negro.

Durante uma conferência de imprensa muito esperada e acompanhada pelo mundo todo, os membros da equipe da EHT fizeram um anúncio revolucionário.

Fotografar o interior de um buraco negro é naturalmente impossível. A luz é literalmente engolida por esses monstros gravitacionais. Esse ponto sem contorno é conhecido como horizonte de eventos, daí o nome do projeto.

Os buracos negros fazem jus ao seu nome: eles não emitem luz em nenhum lugar do espectro eletromagnético, mas os astrônomos sabem com certeza que eles existem graças à teoria geral da relatividade. Uma região do espaço-tempo com um campo gravitacional tão intenso que nada dentro dele pode escapar para o exterior, nem mesmo para a luz.

Em outras palavras, a velocidade de escape de um buraco negro deve ser maior que a da luz, mas a última é um limite insuperável para nós. É por isso que nenhuma partícula de matéria ou energia de qualquer tipo pode se afastar desses monstros cósmicos.

Os astrônomos sabem onde estão, porque quando a gravidade do buraco negro atrai gás e poeira, a matéria se instala em um disco em órbita, com os átomos empurrando em velocidades extremas. Toda essa atividade aquece o material incandescente, emitindo raios X e outras radiações de alta energia.

Os buracos negros mais vorazes do universo têm discos que eclodem todas as estrelas de suas galáxias. E é exatamente isso que os cientistas da EHT fotografaram.

O Telescópio Event Horizon conecta vários radiotelescópios ao redor do mundo, formando um raio virtual do tamanho da Terra. O projeto examinou dois buracos negros supermassivos: o do centro de nossa galáxia, a Via Láctea, e o do centro da galáxia M87.

"Muitas das características da imagem observada combinam surpreendentemente com a nossa compreensão teórica", observa Paul TP Ho, membro do conselho da EHT e diretor do Observatório do Leste da Ásia. "Isso nos deixa confiantes na interpretação de nossas observações, incluindo nossa estimativa da massa do buraco negro”.

Simulações de computador e as leis da física gravitacional já deram aos astrônomos uma boa ideia do que esperar. Devido à intensa gravidade perto de um buraco negro, a luz do disco é deformada em torno do horizonte de eventos em um anel, de modo que o material por trás do buraco negro também é visível.

buraco negro 2

Como explicam os cientistas, a imagem mostra um anel luminoso formado por curvas de luz na gravidade intensa em torno do buraco negro que é 6,5 bilhões de vezes mais massivo que o Sol no centro da galáxia M87, no aglomerado vizinho de galáxias de Virgem. Este buraco negro está a 55 milhões de anos-luz da Terra.

Buracos negros são objetos cósmicos extraordinários com massas enormes, mas dimensões extremamente compactas. A presença destes objetos influencia seu ambiente de formas extremas, deformando o espaço-tempo e superaquecendo qualquer material circundante.

"Se imersos em uma região luminosa, como um disco de gás incandescente, esperamos que um buraco negro crie uma região sombria parecida com a sombra - como previsto pela relatividade geral de Einstein que nunca vimos antes", explicou o presidente do EHT Heino Falcke da Universidade Radboud, Holanda. "Essa sombra, causada pela curvatura gravitacional e pela captura de luz do horizonte de eventos, revela muito sobre a natureza desses objetos fascinantes e nos permitiu medir a enorme massa do buraco negro M87”.

Os telescópios que contribuíram para esse resultado foram ALMA, APEX, o telescópio IRAM de 30 metros, o telescópio James Clerk Maxwell, o telescópio milimétrico Alfonso Serrano, o submilímetro, o telescópio submilimétrico e o telescópio pólo sul.

Por que a imagem parece um pouco assimétrica? Tudo por causa da gravidade que inclina a luz do interior do disco em direção à Terra de uma maneira mais forte do que a parte externa, fazendo um lado mais brilhante aparecer em um anel inclinado.

Uma imagem que permanecerá na história. Quem sabe o que diria Einstein hoje…

Veja o vídeo ao vivo da conferência de imprensa:

Uma mulher na foto

A cientista que liderou o time que desenvolveu o algoritmo que tornou possível fotografar o Buraco Negro é uma mulher de apenas 29 anos. Seu nome é Katie Bouman. Vejam o vídeo da sua apresentação na TED Talk. 

Inspiração! Mulheres na Ciência! Parabéns a todos os envolvidos!

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!