Asteroide vai “roçar” a Terra em 26 de janeiro

Asteroide vai “roçar” a Terra em 26 de janeiro

Asteroide à vista. Em 26 de janeiro, uma rocha de um quilômetro de largura dará o ar da graça em nosso planeta, voando porém, a uma distância segura. É o asteróide 2004 BL86. Depois desse aceno, voltará à Terra em 2027.

Hoje, os olhos dos cientistas estão focados nele. O asteróide vai passar a uma distância de cerca de três vezes a que separa a Terra da Lua. No momento da sua maior aproximação, que terá lugar em 26 de janeiro, a rocha vinda do espaço profundo passará por nós a 1,2 milhão de quilômetros da Terra.

"Segunda-feira 26 de janeiro estaremos mais perto do asteróide 2004 BL86, pelo menos pelos próximos 200 anos", disse Don Yeomans, da Jet Propulsion Laboratory de Pasadena, que, segundo ele, mesmo que a rocha não prejudique a Terra nesta ocasião, trata-se sempre de um voo avizinhado que permitirá observar esses corpos tentando desvendar os seus segredos

Para este fim, a antena Deep Space Network da NASA em Goldstone, Califórnia, e o Observatório de Arecibo, em Porto Rico, tentarão adquirir dados científicos e imagens de radar geradas do asteróide durante os dias que precedem e os que seguem à sua maior aproximação com a Terra.

asteroide 2004 BL86

foto: Nasa

Descoberto em 30 de janeiro de 2004 por um telescópio do Lincoln Near-Earth Asteroid Research (Linear) de White Sands, no Novo México, 2004 BL86 era esperado e nunca preocupou muito os astrônomos, apesar de seu grande tamanho. Embora não seja o maior, o asteróide tem um diâmetro de cerca de 500 metros. Isso não vai acontecer, mas se a sua órbita o levasse para o curso da Terra as consequências seriam tudo menos que agradáveis.

"Os asteróides são algo especial. Não só forneceram à Terra os tijolos da vida e grande parte da sua água, mas, no futuro, tornar-se-ão recursos valiosos para os minerais e outros recursos naturais vitais. Eles poderão se tornar as paradas de reabastecimento para a humanidade, à medida que continuamos a explorar o nosso sistema solar", acrescentou Yeomans.

A NASA monitora constantemente a presença de organismos desse tipo, os chamados NEO (Near Earth Object), a única coisa que, no momento, se pode fazer para afastar quaisquer ameaças provenientes dos cosmos.

Astrologia é um assunto mesmo fantástico!

Leia também: Existem outras duas “Terras" onde poderia existir vida