O que comer em Marte? A ciência quer saber

ciência quer saber coisa comer em Marte

A corrida está aberta para a colonização de Marte, tendo à frente agências nacionais e companhias privadas lançando-se sobre o território desconhecido. Contudo, se levar destemidos pioneiros para o planeta vermelho é uma missão, alimentá-los é um desafio.

Agora, alguns estudantes têm se dedicado a investigar sobre a possibilidade de cultivar uma fonte de alimento sustentável em Marte. A equipe “Seed” – Semente – ganhou a disputa para mandar um tipo de agrião à bordo de uma missão ao planeta.

Lançada pela organização filantrópica, a Mars One, que planeja instaurar vida humana em Marte, a concorrência visa encontrar uma forma de mandar uma missão para Marte, que deverá ocorrer em 2018.

A equipe campeã – formada por estudantes de pós-graduação de Portugal, Espanha e Holanda, creem que podem realmente fazer germinar essas sementes no planeta vermelho. A espécie escolhida de planta foi a Arabidopsis thaliana.

Tais tipos de sementes vêm sendo utilizadas amplamente em processos de pesquisa científica, inclusive em experiências na Estação Espacial Internacional.

Fotos espaciais poderão ser tiradas da superfície de Marte, permitindo aos pesquisadores acompanhar observações sobre as sementes para informação sobre o seu processo de crescimento.

Na tentativa de replicar as condições atmosféricas terrestres, a equipe deverá controlar temperatura, pressão e concentração de oxigênio as quais as sementes estejam expostas.

Com o primeiro protótipo do projeto pronto em um ano, os experimentos poderão se mostrar muito válidos a respeito do comportamento vegetal no planeta vermelho. Quem sabe não pode ser uma saída para o futuro da segurança alimentar de nosso próprio planeta? Parece ficção científica, mas sonhar um pouco não custa nada, não é mesmo? Então vamos acompanhar o desenrolar dessa história com muita atenção. Rumo à Marte.

Leia também: Existem outras duas “Terras" onde poderia existir vida

Fonte foto: freeimages.com