Povos da Floresta

Povo Munduruku luta contra as barragens que matarão o Rio Tapajós

Povo Mundukuru

O povo Munduruku se reuniu durante a XI Assembleia da Etnia na aldeia Dace Watpu, em Itaituba, no passado dia 24 de setembro. Lá estiveram presentes 400 lideranças das aldeias do alto e médio curso do Rio Tapajós para reafirmarem sua luta contra os projetos de hidrelétricas que o Governo Federal pretende implantar na calha do Tapajós e em alguns de seus afluentes num total de 48 barragens.

Um filme sobre autodemarcação de terras, feito por guerreiras indígenas

foto

Um filme produzido pelas mulheres da aldeia Sawré Muybu que participaram da oficina de audiovisual durante o processo de autodemarcação. A decisão de fazerem a autodemarcação resultou da impossibilidade de continuarem esperando que o poder público demarque suas terras tradicionais já homologadas.

300 Guarani-Kaiowá reocupam área do seu tekoha Pyelito Kue/Mbarakay

foto

Essa terra tem dono! Em um comunicado, o Conselho Indigenista Missionário (CIMI) informa que cerca de 300 indígenas Guarani e Kaiowá do tekoha – lugar onde se é – Pyelito Kue/Mbarakay reocuparam ontem, quarta-feira (16) a Fazenda Santa Rita em Iguatemi, Mato Grosso do Sul. Os indígenas, que estavam confinados a poucos hectares, tomaram essa decisão visto sua comunidade, que tem direito à sua terra ancestral já homologada, está em situação insustentável e passando fome. Nesta ação não houve confronto já que na fazenda havia apenas um funcionário.

ONU exorta o Brasil a não expulsar os Guarani Kaiowá de suas terras

foto

Victoria Tauli-Corpuz, perito independente das Nações Unidas, incitou o Governo do Brasil "a garantir que os direitos humanos dos povos indígenas Guarani Kaiowá sejam plenamente respeitados, em estrita conformidade com as normas internacionais que protegem os direitos dos povos indígenas".

Povos indígenas – comunicar-se é fundamental

foto

No último dia 9 de agosto comemorou-se o Dia Internacional dos Povos Indígenas instituído pela ONU. A festa deste ano, realizada no Jardim Botânico, zona sul do Rio de Janeiro, reuniu 18 etnias indígenas brasileiras e lançou um projeto voltado à comunicção dos povos indígenas.