Rio evolui em tratamento de resíduos sólidos, mas lixões permanecem

Rio evolui em tratamento de resíduos sólidos

O estado do Rio de Janeiro tem 91 cidades e mais a capital. Se observarmos o total de resíduos que são produzidos, 94% desses têm destinação totalmente correta, ou seja, em aterros sanitários adequados. Essa boa nova é trazida como resultado de uma auditoria realizada pelo Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro – que será divulgada até o fim de setembro de 2014.

Os técnicos do TCE já realizaram visitação a 58 municípios para verificar se as ações corretas, já recomendadas em auditoria realizada no ano de 2012, estão sendo implementadas. Na ocasião se verificou que 45 % ainda eram destinados a lixões comuns.

Notícia ruim: lixões são realidades

Embora a Política Nacional de Resíduos Sólidos tenha estabelecido que 02 de agosto de 2014 foi o prazo para extinção de lixões, isso não é um fato no Rio, onde a despeito dos grandes avanços, esses espaços ainda permanecem. De qualquer modo, a quantidade de lixo encaminhado para lixões melhorou substancialmente.

De qualquer modo, 64% dos municípios fluminenses já encaminham seu lixo para aterros sanitários, ou centros de tratamento de resíduo. Segundo a auditoria, os que ainda precisam se adequar são justamente os menores municípios do Rio – que não contribuem, de forma expressiva, para a quantidade total de lixo gerado.

Os problemas que permanecem são relacionados à coleta de lixo, especialmente no caso da coleta seletiva, que não é frequente em parte alguma do Rio.

Além disso, os planos municipais de resíduos sólidos, que deveriam ter sido elaborados até agosto de 2012, encontram entraves para sua elaboração. Até hoje, somente poucas cidades têm tal plano. E isso cria um impasse, pois a legislação, em seu plano nacional, define que recursos da União apenas serão destinados a tais localidades, quando houver um plano municipal. Portanto, no futuro isso deve gerar problemas para municípios que demandarem recursos que se relacionem à gestão de resíduos sólidos.

Fonte foto: commons.wikipedia.org