Lixo: problemas e responsabilidades

Lixo: problemas e responsabilidades

Nestes últimos dias o Brasil parou para prestar atenção no lixo que se acumulou na orla da cidade maravilhosa.

Constante e integrante do nosso dia-a-dia, o lixo, também conhecido como resíduos sólidos, é definido como tudo que não presta e que é jogado fora. Mas sabemos muito bem que o que não presta para um pode ser muito útil à outro.

Sabe-se que no Brasil o lixo é direta ou indiretamente fonte de renda, trabalho e sobrevivência. Do premiado documentário Estamira, história de uma então catadora de lixo, aos garis oficiais das prefeituras, o lixo gera renda. Cerca de um milhão de catadores reciclam aproximadamente 1% do lixo produzido no Brasil, a indústria da reciclagem só existe devido a este trabalho.

O país se indigna com a quantidade de lixo acumulado no Rio de Janeiro após as festas de carnaval, mas frequentemente nos deparamos com um “empurra – empurra” de culpas, onde se enaltece o trabalho do gari para justificar um erro nosso. Problemas semelhantes ao cenário carioca são comuns no território nacional. 99,96% dos municípios brasileiros têm serviço de manejo de resíduos sólidos, porém cerca de 50,75% deles dispõem seus resíduos em vazadouros também conhecidos como lixão. Ou seja, de todo o lixo coletado no país, pouco mais da metade se encontra em situação semelhante ao Rio de Janeiro atual, amontoados e sem nenhum cuidado com o meio ambiente, com a saúde pública e com a saúde daqueles que por, exclusão social, sobrevivem dos lixões de onde retiram os materiais recicláveis para comercialização.

Porém, independente das iniciativas públicas, nós, geradores de lixo, podemos tentar diminuir o seu impacto de várias maneiras, podemos destinarmos nossos resíduos às cooperativas de reciclagem, podemos consumir menos, podemos utilizar o lixo orgânico como compostagem doméstica para obtenção de adubo orgânico e, principalmente, podemos evitar jogar o lixo no chão, nos rios, nas praias. É importante que haja programas educacionais, parceiras e incentivos do governo, porém devemos lembrar que fazemos parte ativamente de todo o contexto.

Curiosidades

- Em 2010 Brasil aprovou a Política Nacional de Resíduos Sólidos, esta política procura organizar o modo em que o país tratará o lixo, incentivando a sustentabilidade e reciclagem. A política apresenta três pontos principais, onde um deles é o fechamento de todos os lixões até 2014.

- De 2007 a 2009 foi filmado no Jardim Gramacho o documentário de Vik Muniz. O trabalho do artista plástico era montar uma exposição de quadros feitos com o próprio lixo e trabalhadores do aterro. O filme foi indicado ao Oscar em 2011 como o “Melhor Documentário” e uma de suas obras foi vendida por 100 mil reais. O dinheiro foi investido na comunidade dos catadores do Jardim Gramacho.

Fonte foto: Morgue File