Seleção da sustentabilidade: Catadores são convocados para a Copa

Catadores são convocados para a Copa

Com treinamento dado pela multinacional de refrigerantes Coca-Cola, 840 catadores de papel profissionais foram selecionados, a fim de trabalhar recolhendo resíduos nas 12 arenas, nas quais serão realizados os jogos da Copa do Mundo.

Estima-se que sejam angariadas cerca de 5 toneladas de resíduos para reciclagem, que forem produzidas em uma partida. Isso é 65% de tudo o que foi produzido como lixo, nas arenas; segundo dados da própria Coca-Cola referentes à Copa das Confederações.

Seleção de catadores

A escolha dos catadores profissionais para atuação na reciclagem no interior de estádios da Copa foi realizada por 160 cooperativas, vinculadas ao MNCR – Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis.

A direção de assuntos governamentais, comunicação e sustentabilidade da Coca-Cola para a Copa do Mundo, declara que a corporação cooperou para a capacitação dos profissionais por meio de cartilhas, treinamentos técnicos e com uniformes, para que cada equipe fosse identificada facilmente, sempre em observância ao clima de cada região.

Protocolo de segurança para latinhas e público

Foi estabelecido que as bebidas consumidas por torcedores nos estádios serão servidas em copos plásticos, de modo que a latinha seja descartada no próprio ponto de venda, o que vem a facilitar o trabalho de catadores que estão no interior dos estádios. Outros procedimentos especiais serão reservados para o entorno dos estádios e das Fan Fests.

Renda dupla

Com todo esse procedimento de convocação e preparo de catadores, será possível ter maior controle sobre o que cada equipe de profissionais conseguiu angariar, todas as quantidades e levar o material a ser vendido por cooperativas, para ser posto à venda. Assim, os catadores poderão contar com R$ 80 por dia de trabalho e mais R$ 30 pela alimentação e transporte.

Dados nacionais sobre catadores de papel

Esse valor foi calculado em cima de dados do Censo realizado em 2010, de onde se pode concluir que, embora 388 mil pessoas tenham se declarado catadores de papel profissionais, o mercado pode contar com 600 mil profissionais dessa área.

Desse modo, a renda avaliada, em média, é de R$ 570 por mês. Se incluirmos as famílias dessas pessoas, chegaremos a um surpreendente total: 1.42 milhão de pessoas dependem da renda decorrente do recolhimento de resíduos recicláveis.

Segundo tabelas oficiais, como a do Cempre – Compromisso Empresarial para Reciclagem – que é composta por diversas grandes corporações brasileiras, é apontado que uma tonelada de latas feitas de alumínio é comercializada por R$ 2 mil no Recife, embora valha R$ 3 mil em Goiânia. Sempre lembrando que, para compor uma tonelada, são necessárias 68 mil unidades, mais ou menos.

Legado para a profissão

Com todo esse cuidado reservado aos catadores de papel profissionais, 6 entre as sedes de jogos da Copa - Manaus, Belo Horizonte, Curitiba, São Paulo, Natal e Fortaleza – irão incluir de maneira permanente o trabalho com os catadores de forma oficializada.

Espera-se que, desse modo, haja uma inclusão, em caráter permanente de esquemas municipais de coleta, com os catadores passando a ter retorno financeiro não só pelo material reunido, mas também pelo seu dia de trabalho e papel como agente da sustentabilidade. Desse modo, estima-se modificar a imagem desses profissionais, que podem ganhar mais respeito em sua profissão.

Estima-se que esse seja o legado da Copa para essas pessoas.

Fonte foto: copa2014.gov.br