Lixo atrapalha competições olímpicas: vergonha

lixo-olimpico

A dupla brasileira Isabel Swan e Samuel Albrecht reclamou ontem (16) ao Globo, sobre a sujeira na Baía de Guanabara.

Apesar de terem ficado entre os 10 melhores do mundo, e de estarem felizes com este resultado, os dois atletas se disseram prejudicados pois pegaram muito lixo no caminho.

Para o mesmo jornal, outros competidores disseram não ter visto sacolas ou sujeiras flutuantes na baía. Fato é que este seria o legado mais importante das olimpíadas. Já pensou em poder nadar nas águas calmas da Glória, Flamengo, Botafogo, com vista para o Pão de Açúcar? Fazer remo na lagoa Rodrigo de Freitas sem medo de cair em suas águas poluídas? Aí sim o Rio de Janeiro seria verdadeiramente uma cidade maravilhosa.

Por falar nisso, é fundamental assistir a série Toxic Guanabara, são 3 episódios de uns 10 minutos cada, que contam sobre a problemática da baía símbolo da cidade carioca. No primeiro episódio, o biólogo Mario Moscatelli diz que hoje o Rio de Janeiro é um fragmento do que um dia foi uma cidade maravilhosa. Triste mas importante divulgar a verdade, principalmente neste momento de jogos olímpicos. Veja a série no primeiro link abaixo:

Mais sobre a Baía de Guanabara

SÉRIE MOSTRA O LEGADO QUE NÃO SE CUMPRIU: A BAÍA POLUÍDA NA RIO 2016

BAÍA DA GUANABARA E LAGOAS DO RIO DE JANEIRO PEDEM SOCORRO

Foto: Gregorio Borja para globo.com Fonte: globo.com