A importância da coleta seletiva em uma grande cidade como São Paulo

walle

Você já assistiu à nova animação da Pixar? Se não, não perca a oportunidade de ver Wall-E, um filme que fala das consequências do aumento da quantidade de lixo para o nosso planeta, e aproveite para observar bem a imagem acima.

Um dos meios mais eficaz para impedir o aumento do lixo no planeta é a reciclagem, processo que transforma o lixo em materiais que podem ganhar novos usos.

Só para você ter uma ideia da quantidade de lixo que produzimos, apenas a cidade de São Paulo, segundo dados disponibilizados pela Prefeitura, gera cerca de 20 mil toneladas de resíduos por dia, sendo que, desse total, 12 mil correspondem ao lixo doméstico. Por isso, é tão importante que nós, e as prefeituras, façamos a coleta seletiva do lixo.

Leia também:  LIXO RECICLÁVEL: LAVAR OU NÃO? COMO SEPARAR O LIXO?

São Paulo, atualmente, recebe parte do volume de lixo reciclável em vários pontos espalhados pela cidade. São cooperativas e ecopontos, cadastrados na prefeitura, que estão aptos a recolher até 1 metro cúbico de entulho, resíduos recicláveis e móveis. Alguns coletam, também, óleo de cozinha usado.

A abrangência da coleta seletiva na cidade de São Paulo se deve aos PEV’s (Pontos de Entrega Voluntária), que estão localizados em pontos estratégicos da cidade. Há, ainda, os “PEV’s menores”, que são containers verdes de 1000 e 2500 litros instalados em locais de grande movimento, como bancos, supermercados e condomínios.

Fique atento se o seu endereço não recebe o serviço de coleta seletiva porta a porta. Caso você não seja atendido por esse serviço e não contar com um PEV por perto, deixe os resíduos recicláveis (vedados, naturalmente) na rua, pois são diferentes os dias da coleta desse tipo de material dos da coleta orgânica.

Leia também: 

RECICLAR E REUTILIZAR: QUAL É A DIFERENÇA?

COMO DESCARTAR CORRETAMENTE OS MEDICAMENTOS VENCIDOS?

Fonte: atitudessustentaveis