Fábrica Verde: do RJ para o mundo

Fábrica Verde: do RJ para o mundo

O projeto Fábrica Verde, que é desenvolvido pela Secretaria Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro em uma série de comunidades fluminenses, recebeu, em Paris, a certificação Climate Actions Leader, no dia 24 de outubro.

O prêmio foi concedido pela ONG R20 – Regions Climate Action, criada pelo ator e ex-governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, e outros líderes mundiais – e tem o apoio da ONU.

A R20 é uma organização não governamental que resulta da reunião de parceiros, liderados por governos regionais, que trabalham para promover e implementar projetos que são criados de modo a:

* produzir benefícios locais e ambientais, com foco em redução de consumo de energia e diminuição da liberação de gases do efeito estufa;

* fortalecer economias locais;

* melhorar a saúde pública;

* aprofundar a visão da economia verde.

Tais ações podem auxiliar o planeta a atingir os objetivos de sustentabilidade tanto ambientais quanto econômicos.

O que é o prêmio Climate Actions Leader?

Para ser elegível à certificação recebida pela Fábrica Verde, primeiramente a iniciativa precisará estar inscrita em California Registry. Seus membros que conseguem verificar, com sucesso, os inventários de emissão, recebem o status de Climate Actions Leader – Líder de Ações Climáticas, em livre tradução.

Ao receber a certificação, a iniciativa poderá passar a utilizar o logo da Climate Actions Leader tanto em ações de marketing, quanto na prospecção de parceiros.

O que faz o projeto Fábrica Verde?

Trata-se de um projeto que promove a diminuição de geração de resíduos oriundos de produtos eletrônicos, com a capacitação profissional de jovens na montagem e recuperação de computadores, justamente a partir de peças e equipamentos descartados.

Os computadores que são reformados ou montados pelos alunos, com peças dos equipamentos antigos, são doados para diversas entidades voltadas para a educação dos moradores da própria comunidade.

Dessa forma, segundo os organizadores do Fábrica Verde, há um resultado prático: a economia verde é fortemente estimulada e ainda aponta uma opção à geração de venda desses moradores.

Apenas em 2014, o Fábrica Verde passou de cinco para 14 núcleos na capital, na Baixada Fluminense e no interior do Rio, conseguindo ajudar na formação de 1.097 pessoas. A expectativa é que, até o fim do ano, mais 510 alunos completem os cursos. Em dois anos, o maior núcleo do projeto, que é o da Rocinha, formou 620 pessoas e reaproveitou 660 micros que seriam jogados no lixo.

Cada representante dos 14 núcleos do projeto recebeu uma réplica do certificado R20, como homenagem. A grande expectativa tanto do Secretário de Meio Ambiente quanto dos fomentadores do Fábrica Verde é garantir o apoio de grandes empresas de tecnologia, para viabilizar um crescimento nas atividades desenvolvidas.

O futuro do Fábrica Verde

Agora o projeto passará a buscar a extensão da proposta de inclusão digital para pessoas da terceira idade. Já foram abertas as inscrições para cursos básicos de informática em vários dos núcleos do projeto, como Rocinha, na Zona Oeste da cidade do Rio e Chacrinha, na Zona Norte.

Outros projetos cariocas

Ecomoda

Capacita moradores da Mangueira e arredores em moda sustentável, com a reciclagem e a reutilização de materiais usados em vestuário.

Ecobuffet

Capacita moradores da Chacrinha, Salgueiro e Turano em técnicas de culinária sustentável com desperdício zero e reaproveitamento de alimentos.

Comunidades Verdes

Capacita os moradores em jardinagem e reflorescimento nas comunidades Batan, Formiga, Inhoaíba e São Carlos.

TV Verde

É um projeto de capacitação técnica em produção audiovisual para jovens e adultos do Complexo do Alemão.

Conheça melhor estes projetos clicando aqui.

São iniciativas como estas que nos enchem de esperança!

Fonte foto: rj.gov.br