Ter um negócio próprio sustentável e solidário

negócio próprio sustentável e solidário

Conforme os dados do Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas, nada mais, nada menos que 1.840.187 de novos empreendimentos foram abertos no Brasil há dois anos. O indicador demonstra que o brasileiro tomou gosto pela ideia de se tornar seu próprio patrão. São muitos os que sonham em ter sucesso com seu negócio próprio e neste cenário frisamos a possibilidade de realizar este sonho usando a criatividade e tendo como modelo formas sustentáveis e solidárias de empreender, como veremos abaixo.

Milena Curado de Barros é uma mulher de 40 anos que fez do seu aprendizado como bordadeira, passado pela sua avó desde quando ela tinha 8 aninhos, uma forma de ganhar a vida de maneira sustentável.

Os bordados de Milena resultaram em uma linha de peças de vestuário e decoração criados e vendidos em sua loja de artesanato em Goiás Velho, cidade turística que fica a 142 quilômetros de da capital Goiana, e que, não só garantem a sua renda, como também a de outras 25 pessoas.

“O nosso principal público é formado por turistas e o carro-chefe das nossas vendas são os vestidos, que se somam às outras peças de roupa, capas de cadernos, bolsas, carteiras, almofadas, porta-trecos e aventais”, esclarece Milena.

Chamada de Cabocla Criações, a loja também possui um projeto social que ajuda detentos da unidade prisional local, a terem uma atividade que passaram a ganhar por produção e ter remissão da pena com o trabalho (três dias de trabalho equivalem a um a menos na reclusão). Atualmente 18 detentos fazem parte do projeto e bordam para sua loja, como explica a empreendedora:

“São pessoas que passaram a ter na Cabocla Criações a sua principal, e muitas vezes única, fonte de renda. Semanalmente, vou à cadeia ensinar a arte do bordado aos participantes do projeto e, com base na Lei nº 7.210/1984 que regula o funcionamento dos presídios e o trabalho das presas e na Lei de Execução Penal (nº 12.433/2011), cada um deles decide a quantidade de peças que bordará. O pagamento é feito por produção, à vista, e varia conforme o tamanho e complexidade do desenho”.

A Cabocla Criações produz por mensalmente 200 peças – cujas vestimentas abrangem todos os tipos e tamanhos do corpo humano – que são vendidas na loja instalada em Goiás Velho, em outros dois pontos fixos de revenda em Pirenópolis e na Chapada dos Guimarães, além de várias feira espalhadas por todo o Brasil.

Todo este sucesso, empenho e esforço social, renderam à Milena e à sua loja o Troféu Ouro na categoria MEI da etapa nacional do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios.

O Sebrae ajudou a empreendedora nas noções sobre indústria e comércio, desde calcular o preço final dos produtos ao consumidor, por exemplo, a fazer etiquetas, embalagens e a trabalhar estratégias de marketing: "Desde o início, decidi que a Cabocla Criações seria mais que uma mera confecção de roupas e acessórios, seria uma forma de registro, preservação, divulgação e celebração da miscigenação e diversidade dos patrimônios histórico, cultural e natural do nosso país.”, finaliza a bem-sucedida empresária.

Histórias como estas animam as pessoas a acreditarem em si mesmas e nas possibilidades de se obter renda inclusive ajudando pessoas, levando em consideração o meio ambiente, a solidariedade e a criatividade como motores que impulsionam o empreendedorismo.

Leia também: WakaWaka, a lâmpada LED de energia solar e comércio justo

Fonte foto: freeimages.com