GM abrirá fábrica sustentável no Brasil

GM abrirá fábrica sustentável no Brasil

A norte-americana General Motors anunciou a abertura de sua nova fábrica de motores, para a primeira quinzena de março de 2014, em Joinville, Santa Catarina. O grande diferencial desse novo empreendimento é a obtenção da prestigiada Certificação Internacional LEED - Leadership in Energy and Environmental Design, ou Liderança em Energia e Design Ambiental, em livre tradução – a primeira desse tipo a ser aberta em toda a América Latina.

A construção é equipada por um painel fotovoltaico de 350 kW – capaz de proporcionar energia suficiente para iluminar toda a parte interna da fábrica e ainda os escritórios administrativos. Além disso, o painel é capaz de aquecer 15 mil litros de água, por dia – em termos de comparação seria energia suficiente para a iluminação de 220 residências. Dessa combinação de calor e energia renováveis, resulta uma ótima economia, da ordem de 28 toneladas de CO2 todos os dias.

Em nível mundial, a fábrica de Joinville é a sexta LEED e conta com diversas outras adaptações em prol da sustentabilidade, tais como um sistema de reciclagem de água, por osmose-reversa, que age como um verdadeiro filtro de impurezas, tornando-a pronta para reutilização.

A preocupação da General Motors do Brasil em relação à sustentabilidade é mais antiga. Desde de 2005, a empresa tem feito um esforço constante na redução de consumo de água – menos 58% - e do uso de energia – 36% inferior. O uso de materiais não-recicláveis também tem sido minimizado – 76% menor - o que abriu o caminho para uma produção que não dependesse de aterros sanitários, algo que é muito valorizado pela administração da GM; prova disso é o fato de que são 106 as fábricas que fazem parte dessa política de lixo zero da empresa, mundialmente.

Duas gerências são especializadas em promover o cuidado em relação ao meio ambiente: a de redução de resíduos e a de sustentabilidade, que afirmam que o sucesso não pode ser tão-somente financeiro, mas sim por ser também atestado por políticas capazes de preservar os recursos naturais do planeta Terra. Esse discurso tem atraído totalmente o interesse dos grandes acionistas dessa multinacional.

Você deve estar se perguntando se uma construção LEED é mais barata, não é? Na verdade, a diferença de investimento para uma fábrica tradicional é muito pequena; a diferença é no custo de operações da estrutura – bem inferior no caso das LEED.

Agora é torcer para que as outras gigantes do universo automobilístico possam aderir a esse mesmo princípio, para fazer uma autêntica economia “do bem”. O meio ambiente agradece. E você, acha que pode dar certo?

Fonte foto:Construirnordeste.com.br