Energia solar em grande expansão no nosso país tropical (10 x mais em 1 um ano)

  • atualizado: 
Energia solar

Vivemos em um país tropical onde há sol durante vários meses e na maioria das regiões do Brasil. Logo, o uso de energia solar parece uma obviedade no Brasil, que se trata de um lugar com enorme potencial para esse tipo de produção energética.

Segundo a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), parece que o brasileiro realmente já reconhece a importância de investir na energia solar: ela já ultrapassou o 1,5 Gigawatts de capacidade instalada – marca que deve chegar, ao fim deste ano, aos 2,4 GW, segundo noticiou o UOL: "Casas com energia solar aumentaram 10 vezes em um ano no Brasil".

Cerca de 60 mil domicílios brasileiros eram abastecidos com energia solar há um ano. Em 2018, a tecnologia já abastece 633 mil residências. O sistema de geração distribuída instalado no Brasil atingiu o número de 30.039, o que representa um investimento de R$ 2,1 bilhões desde 2012.

O presidente da Absolar, Rodrigo Sauaia, diz que o Brasil hoje faz parte do grupo dos 30 países com mais de 1 GW de energia solar instalado, ainda que represente apenas 1% da geração enérgica total do país. Mas, segundo a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), até 2030 a expectativa é de que esse percentual suba para 10%.

E não é só o meio ambiente que agradece com o investimento em energia solar. A tecnologia é sustentável porque também incorpora o aspecto social, já que cada Megawatt de energia gerado gera, também, de 25 a 30 empregos no país, contabilizando, atualmente, cerca de 20 mil empregos diretos e indiretos no setor.

A maior demanda pela energia solar vem de consumidores domésticos, segmento que representa 77,4% do total de sistemas instalados. Em seguida estão os setores de comércios e serviços (16%), consumidores rurais (3,2%) e indústria (2,4%).

É importante salientar que, infelizmente, o setor que mais gasta energia é o que menos investe em energia solar. É fundamental criar políticas que mobilizem o setor industrial a investir na energia solar para minimizar os impactos de suas atividades para o meio ambiente.

Segundo a Absolar, o consumidor residencial tem procurado a instalação do sistema de energia solar por causa de dois fatores: a redução de 75% no preço do sistema e o aumento da conta de energia elétrica, que subiu 499%, desde 2012, de acordo com o Ministério de Minas e Energia.

Ainda consoante a Associação, os tetos das residências brasileiras têm o potencial de gerar 28.500 GW com a energia solar, um volume maior do que o da atual matriz energética dominante no país, a energia elétrica, que é de 160 GW instalados.

O BNDES, recentemente, também anunciou uma linha de crédito para pessoas físicas financiarem a tecnologia de energia solar distribuída, política pública que deve incrementar ainda mais o setor. Foram liberados R$ 300 milhões a juros ao redor dos 4% ao ano, a serem pagos no prazo de até 12 anos.

De fato, é fundamental que políticas públicas atuem diretamente no setor em pequena e larga escala. Quando a população recebe informações sobre os benefícios de uma tecnologia para o meio ambiente e, também, para o seu bolso, ela busca soluções que facilitem a sua vida, antenadas ao impacto das suas ações e escolhas para o todo. Resta, agora, que essas políticas atinjam aqueles setores produtivos que mais fazem uso de energia elétrica, a fim de que eles invistam em matrizes energéticas alternativas.

Go Solar! Veja aonde a energia pode chegar:

CONHEÇA EMILIA 4, O PRIMEIRO CARRO ITALIANO MOVIDO À ENERGIA SOLAR

O PRIMEIRO TREM SOLAR DO MUNDO EM FUNCIONAMENTO

ENERGIA SOLAR CHEGA AO XINGU

O SOL PODE REVOLUCIONAR ENERGIA SOLAR EM COMUNIDADE CARIOCA

 

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!