Escola técnica no RJ investe em ensino e capacitação para energia solar

painel fotovoltaico

Depois que a seca atingiu várias regiões geradoras de energia, muitas discussões sobre o assunto ganharam o noticiário, falando até mesmo em racionamento (já descartado pelo Governo Federal). Mas, infelizmente, ainda falta muito espaço na mídia e no governo para falar sobre a energia solar. Por outro lado, o esforço para que a energia solar se expanda no Brasil, país com potencial para se tornar o maior gerador de todo o planeta, começa a aumentar, a ponto de até uma petição que pede pela isenção de ICMS em paineis fotovoltaicos, ter sido criada on line.

Agora a notícia boa é que o Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow (Cefet), localizado no Rio de Janeiro, colocará em funcionamento uma planta fotovoltaica que vai gerar energia limpa e renovável e capacitar professores para o ensino da energia solar.

Ali foi criada uma miniusina, com potência de 6 quilowatts-pico (KWp), teve investimentos de R$ 80 mil, e integra a carteira de projetos do Programa Rio Capital da Energia, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado do Rio de Janeiro (Sedeis).

Na coordenação do projeto está o professor do Cefet, Mamour Sop Ndiaye, que explicou a capacidade da pequena usina solar. Segundo Ndiaye, a usina pode atender o consumo elétrico médio de três famílias. Mas o principal objetivo, e motivo de criação da miniusina é a pesquisa e o ensinamento.

A partir do próximo mês, julho, a planta será utilizada em uma nova etapa do curso de capacitação de professores do Cefet e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.

Tanto é que os primeiros profissionais de nível técnico em energia fotovoltaica já estão tendo aula no Cefet e a primeira turma deverá receber o diploma no segundo semestre de 2016. Como em muitas áreas neste país dos “bacharéis”, conforme frase celebre do ex-presidente Lula, muito dos problemas na instalação e progresso de novas tecnologias no Brasil, é devido à ausência de mais profissionais de nível técnico certificados.

Com a usina solar instalada, o centro agora se prepara para produzir o próprio painel fotovoltaico, em vez de adquiri-lo pronto, o que seria uma grande inovação e um passo imenso para o futuro da energia solar no Brasil. O novo projeto envolve a instalação de outra planta fotovoltaica, de 1 KWp, cuja energia gerada vai ser usada para iluminar o pátio da escola.

Leia também: Atlas Solarimétrico orientará instalação de painéis fotovoltaicos no Rio de Janeiro

Fonte foto: wikipedia.org