Projeto viabiliza o uso de energia renovável em Escola de Santa Catarina

energia renovável em Escola de Santa Catarina

Desde novembro de 2013, a escola de educação básica Robert Schutz, situada na zona rural de Rancho Queimado em Santa Catarina, tornou-se palco de um projeto de energia renovável.

A iniciativa surgiu a partir de um projeto da Unisul (Universidade do Sul de Santa Catarina) financiado pela União Europeia que procura estimular o uso de energia renovável na América Latina. A pesquisa exige soluções práticas e a escola tornou-se uma espécie de projeto piloto.

Parte da energia utilizada na escola é gerada por 27 placas fotovoltaicas instaladas no teto do prédio da instituição, a energia gerada é suficiente para iluminar quatro salas de aula e uma biblioteca. A ação incluiu, além da utilização da energia solar, a melhoria da eficiência energética através de soluções simples como paredes mais claras e aproveitamento da claridade natural que resultou em uma melhora de mais de 200% em relação ao conforto visual.

Cristiane Hamm, diretora da escola, diz que a instalação das placas despertou curiosidade nos alunos o que gerou um debate e a oportunidade de incluir o tema dentro do conteúdo das aulas.

Segundo o coordenador do projeto REGSA (Consórcio de Geração Elétrica através de Fontes Renováveis na América do Sul – sigla em inglês) um dos objetivos do projeto é viabilizar energia elétrica à populações isoladas, aumentando a qualidade de vida dessas comunidades, e devido a este objetivo, a escolha recaiu sobre uma escola localizada em uma área rural.

Este ano, o projeto deve continuar com a instalação de aquecimento solar por uma placa termossolar e, por ser um modelo piloto, a proposta é que ele seja aplicado também em outras escolas.

A apresentação dos avanços tecnológicos e os resultados da iniciativa serão apresentados durante a Conferência Internacional REGSA, que contará com a presença de representantes de 15 países e será realizada em Santa Catarina entre os dias 6 a 8 de maio.

Esperamos que projetos como este tornem-se realidade em tantas outras instituições.

Fonte foto: Stock.Xchng