Por uma produção de biocombustíveis limpa

produção de biocombustíveis limpa

A sustentabilidade dos biocombustíveis como fonte de energia renovável tem sido impulsionada com o desenvolvimento de um novo processo que não utiliza água na produção de biodiesel, e vem da reutilização de óleos vegetais usados na cozinha.

A produção global de biocombustíveis - como o etanol e o biodiesel - aumentou em mais de 600% em uma década para mais de 100 bilhões de litros em 2011. Biocombustíveis são amplamente utilizados no setor de transportes e representam 3% do total de combustíveis usados em transportes rodoviários em todo o mundo (dados do International Energy Agency).

No entanto, a produção de biocombustíveis tem sido criticada por causar desmatamento, aumentando a pressão sobre as terras agrícolas necessárias para a produção de alimentos, além do impacto ambiental causado pelo desperdício d'água durante a sua produção.

Os métodos tradicionais de produção de biodiesel utilizam grandes volumes d'água para remover as impurezas e atender aos rigorosos padrões de qualidade. Para a produção do óleo de palma, 50% da água utilizada, acaba chegando aos rios cheia de óleo da fábrica, a maior causa da poluição dos rios na Malásia.

No entanto, pesquisadores da Universidade do Porto, Portugal, estão testando métodos que não utilizam água para purificar os biocombustíveis, incluindo aqueles feitos de óleos alimentares usados, gorduras animais e outros resíduos graxos derivados de atividades industriais.

Em vez de água, pesquisadores utilizaram catalisadores de pré-tratamento e impurezas, como purificadores no biodiesel. As impurezas foram absorvidas por resinas ou por membranas de cerâmica.

Os pesquisadores foram capazes de produzir biodiesel de boa qualidade, tanto do óleo vegetal virgem mas, o mais importante, da sobra dos óleos utilizados para fritar. O novo processo poderia proporcionar benefícios econômicos e ambientais significativos em comparação com outros métodos mais intensivos de produção de energia que utilizam água em suas produções.

O Executivo-chefe da Instituição de Engenheiros Químicos (IChemE), o Dr. David Brown, disse: "Em alguns países como o Brasil, os biocombustíveis representam quase um quarto do total de combustível usado em transportes rodoviários. Na União Europeia, as negociações estão em andamento para aumentar biocombustíveis nos transportes em 10% e a Indonésia - maior produtor mundial de óleo de palma - anunciou planos para aumentar a produção de biodiesel para reduzir sua dependência das importações de petróleo bruto.

"No entanto, os processos atuais de produção de biocombustíveis nem sempre atingem todo o seu potencial verde na redução das emissões de gases de efeito estufa, e ainda existem muitos desafios pela frente, incluindo econômicos e ambientais.

"Mas a demanda por biocombustíveis está visivelmente aumentanto e o avanço nos processos de engenharia química, tais como o uso de catalisadores heterogêneos e métodos water-free utilizando membranas, são muito bem-vindos para consolidar os biocombustíveis como globalmente aceitos como fonte sustentável de energia renovável."

Fonte foto: Stock.Xchng