Olivas alimentam a inovação do biodiesel

Olivas alimentam a inovação do biodiesel

Olivas europeias são muito valorizadas por seus azeites como um saboroso aperitivo por méritos próprios. Agora surpreenda-se: pesquisadores têm utilizado esses óleos para fazer biodiesel. Estudos para promover a redução nas emissões de carbono têm sido empreendidos, transformando as olivas em um negócio pra lá de rentável. Agora, não vai pensar que isso possa ser um desperdício de sabor, pois das olivas se extrai o óleo e com seu bagaço se pode fazer muito mais.

Cientistas e engenheiros da University of Technology de Viena, na Áustria, estão trabalhando em um grande compartimento de armazenagem que transforma a biomassa em combustível. Tanto na Áustria quanto em um grande número de nações da Europa, esse combustível é utilizado para alimentar geradores e produzir eletricidade.

O problema que os operadores têm enfrentado agora, é o da compra de biomassa para alimentar suas fábricas a um preço que torne essa alternativa energética competitiva com outras opções de combustíveis, tanto renováveis quanto fósseis. Para dar uma força, a União Europeia fundou um projeto que tem como objetivo transformar a polpa da oliva – ou seja, o bagaço restante após da extração do óleo – em biocombustível.

O grupo, portanto, se dedica à exploração máxima da energia potencial da massa de oliva, que, ao final do processo, se parece como um pequeno torrão de areia de cor escura. Esse é o princípio do projeto “Phenolive” – ou Fenoliva, que vem da junção entre as palavras “fenol” e “oliva” – identificando componentes que possam ser retirados do bagaço da oliva e transformá-los em energia, cosméticos e suplementos alimentares – lembrando que a oliva é riquíssima em polifenóis, substâncias altamente antioxidantes, isto é, retardadoras do envelhecimento orgânico.

E não para por aí, uma vez que o combustível a partir da planta já está sendo fabricado em Güssing, na Áustria, sairá de lá pronto para abastecer veículos ao redor do mundo. Tem sido chamado de “o combustível do futuro”.

Fonte foto: Stock.Xchng