Medellín, Colômbia: a volta por cima da cidade de Pablo Escobar

Medellín, Colômbia

Cartéis de droga, níveis recordes de homicídio, e pobreza generalizada, essa era a imagem de Medellín, na Colômbia. Agora, quem for à cidade se surpreenderá com a transição da localidade, que modificou atitudes de cidadãos e turistas, por toda a parte.

Medellin: Antes e Hoje

Antes, Medellín era a área do mítico traficante internacional Pablo Escobrar, que, mesmo já tendo morrido há quase 20 anos, ainda habita como lembrança no inconsciente coletivo. Tanto é, que muitos turistas ainda evitam a área, com medo, por conta da expressão “Cartel de Medellín”.

Mesmo assim, há estratégias de turismo sendo desenvolvidas para promover viagens com turistas interessados em conhecer a clássica cidade do crime, mas que, em contrapartida, ainda apresenta a atual Medellín: vibrante e cosmopolita, além de totalmente segura.

Ponto de partida

Essa viagem incrível tem início na estação de metrô de Alpujarra, onde, há 15 anos, tal passeio seria impossível. Não só para esse ponto, mas qualquer outro, por razões de falta de segurança. Atualmente, até mesmo no centro da cidade, outrora perigoso, há sensação total de segurança.

Bosques de Luz: iniciativa de sucesso

Os Bosques de Luz, na Praça Cisneros, é parte da iniciativa de democratizar a arquitetura da cidade, de modo a transformá-la – sobretudo em suas áreas mais desprezadas – em atrações turísticas impressionantes e belas.

O nome Bosque de Luz se deve ao fato de a praça ser dotada de 300 pontos de luz bem altos, deixndo o local muito bem iluminado a qualquer hora do dia e da noite.

Esse lugar se tornou um símbolo da virada de Medellín, pois lá estava instalado o famoso mercado El Pedrero, que foi incendiado ainda no ano de 1968.

Bibliotecas onde antes havia medo

Entre 2005 e 2008 cinco bibliotecas, conhecidas localmente como parques de livros, foram construídas nos bairros mais perigosos de Medellin. Em Santa Domingo, por exemplo, foi construído o Parque dos Livros Espanha, pelo premiado arquiteto Giancarlo Mazzanti.

Desenvolvimento socioeconômico notável

Em 1991 o governo municipal construiu o primeiro e único sistema de metrô colombiano, desenvolvido para oferecer transporte rápido e barato para os bairros mais pobre de Medellín. Além disso, um teleférico também foi erguido, para assistir à população que habitava nas partes altas da cidade.

Pois bem, essa iniciativa não só fortaleceu a infraestrutura da cidade, mas também proporcionou belas paisagens da faixa montanhosa andina. Com isso, o próprio teleférico se tornou um ponto turístico.

Mudança de perfil do turista

Se antes a maioria era de jovens mochileiros, agora, todas as classes sociais querem conhecer Medellín, desde os próprios jovens, passando por aposentados e pessoas hospedadas em hotéis de luxo.

A mudança é tamanha que a cidade irá sediar, em 2015, o prestigiado evento da área de turismo: Tourism World Organization Assembly. E não para por aí: Medellín foi reconhecida pelo prestigiado The Wall Street Journal como a cidade mais inovadora do ano de 2012.

Esperamos que as autoridades brasileiras se inspirem pela virada colombiana e apliquem esses conhecimentos, adaptados à realidade brasileira, para minimizar a imensa violência e o poderio do narcotráfico em nossas grandes cidades.

Leia também:

COLÔMBIA: EXEMPLO DE SUSTENTABILIDADE E FORÇA

A COLÔMBIA É O PAIS MAIS FELIZ DO MUNDO: NOVO RANKING

COLÔMBIA: ROUBARAM O RIO, EXTERMINAM A NAÇÃO WAYÚU

Fonte: positivenews.org.uk

Fonte foto: wikipedia.org