Semana de conscientização sobre a luta das pessoas com deficiência

O governo do Rio de Janeiro e a sua Assembleia Legislativa tomaram a iniciativa de tentar conscientizar as pessoas que não sofrem com problemas físicos sobre as dificuldades enfrentadas por pessoas com deficiência. A proposta é fazer com que pessoas sem deficiência vivenciem situações enfrentadas todos os dias pelos cadeirantes, deficientes visuais e auditivos. A iniciativa ganhou o nome de “Rio Consciente”, celebrando a passagem do Dia Nacional da Luta das Pessoas com Deficiência, que começou no dia 21, na Praça XV, no centro do Rio, e vai até a próxima quinta-feira (24).

Ali o público que participou da ação passou por um circuito no qual experimentou desafios como subir em rampas ou entrar em um táxi adaptado, claro, sentado numa cadeira de rodas e sem poder utilizar as pernas nem para um mínimo apoio. Também tiveram atividades de olhos vendados e com fones de isolamento no ouvido. Essa foi a maneira encontrada pelo governo carioca para conscientizar a população sobre os sofrimentos e dificuldades que as pessoas com deficiências físicas passam diariamente, na prática.

Algumas das pessoas que participaram das atividades, ou simplesmente observaram as ações, falaram sobre o que pensam da iniciativa. É o caso do aposentado José Geraldo Machado de 75 anos: “É muito importante essa iniciativa de conscientização para que todos nós possamos ver as dificuldades que eles encontram no dia a dia. Por exemplo, quando me vendaram e eu ‘fiquei cego’, me senti completamente perdido! Quando fiquei sem ouvir, também. A gente acaba dando valor para essas coisas que parecem simples para quem não é portador de deficiência”, disse.

O fato de que o Rio de Janeiro será a sede dos próximos Jogos Olímpicos e Paralímpicos é motivo para cobrar das autoridades maior cuidado com os deficientes físicos, dando a estes condições dignas de locomoção.

É interessante a tentativa de conscientizar as pessoas, mas não seria o caso de colocar os próprios políticos e tomadores de decisões sobre uma cadeira de rodas? A população consciente das dificuldades pelas quais passam as pessoas com deficiência pode, no máximo, ser gentil e ajudar quando vê alguém em dificuldades. Mas construir uma cidade digna para todos é competência do governo.

Este vídeo mostra como muitas vezes o discurso político é diferente da prática. Foi assim na Copa e provavelmente será assim nas Olímpiadas, vocês não acham?

Leia também: TURISMO PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA: O BRASIL QUE A GENTE QUER

Fonte foto: youtube.com