Paulistanos protestam contra a retirada de árvores

paulistanos protestam

São Paulo, conhecida por seus prédios e por seu excesso de “cinza” dá mais uma amostra de que esta é a sua cor mais “quente” mesmo. Isso por conta de uma nova ameaça ao verde das árvores em um parque da capital paulista. Como se não bastasse o caso do Parque Augusta (ainda há espera de novos capítulos), agora é a vez da Radial Leste, próximo do Parque Dom Pedro, na região central da cidade, ter seus problemas com obras que maculam o pouco verde de São Paulo.

A obra em questão é um túnel que ligará a Radial Leste, Avenida do Estado e o Terminal Parque Dom Pedro, e que está provocando a retirada de várias árvores do local desde o final de 2014. Mais de mil árvores já foram removidas.

Como forma de protestar contra a retirada de tantas árvores (ainda existe a estimativa de que mais árvores sejam removidas), um grupo de aproximadamente dez pessoas realizou uma ação, que consistiu em cravar cruzes no canteiro do começo da via. A ação foi realizada pelo coletivoMuda Mooca”, um grupo que realiza o plantio de árvores e atuante no bairro que usa em seu nome e outras localidades nas redondezas da cidade.

Os integrantes do coletivo admitem que o túnel, que servirá exclusivamente para o trajeto de ônibus, em mais uma ação do prefeito Fernando Haddad para privilegiar o transporte coletivo em São Paulo, seja algo muito positivo para a população, mas eles lamentam a perda de tantas árvores e ainda acusam a prefeitura de não estar realizando a compensação no nível em que ela foi prometida.

Aliás, nem acreditam que ela será cumprida, devido ao gigantismo da missão. A prefeitura disse que, para cada árvore derrubada, sete novas seriam plantadas. Ou seja, a prefeitura deve ter um saldo devedor de mais de 8 mil árvores ao final das obras.

Ainda assim, mesmo céticos com a promessa, o coletivo promete fiscalização e cobrança. Já a prefeitura que o projeto foi totalmente revisto para minimizar a perda de mais árvores, gerando, nas palavras da prefeitura, uma preservação de mais de 1.242 árvores. No total, o Termo de Compensação Ambiental (TCA), prevê plantio de 8.331 mudas compensatórias, corte de 1.037 árvores e remoção de 37 exemplares mortos, até o final da obra.

O paulistano está se mostrando cada vez mais informado, atuante e com vontade política de participação nas melhorias da grande cidade, como vimos em várias ocasiões.

Leia também:

Enquanto a crise hídrica se agrava, grupo protesta plantando árvores

Liminar contra implantação de ciclovias é suspensa em São Paulo

Fonte foto: fotospublicas.com