Incêndio no parque Doñana na Espanha, patrimônio da Unesco em chamas

  • atualizado: 

Após o desastroso incêndio na vizinha Portugal, as chamas não pouparam o Parque Nacional Doñana, na Espanha, Patrimônio Mundial da UNESCO desde 1994. A área atingida é da cidade de Moguer, na província de Huelva, Andaluzia, às portas do parque, onde mais de 2.000 pessoas foram evacuadas.

As primeiras chamas se desenvolveram na noite de sábado 24 de junho, em seguida, o fogo foi rapidamente propagado pelo mato e se aproximou das casas e hotéis da região. Centenas de bombeiros estão trabalhando duro para tentar controlar as chamas na floresta no sudeste da Espanha. O fogo ainda está ativo em duas frentes e atingiu o parque natural de Doñana, um Patrimônio Mundial desde 1994 e Reserva da Biosfera desde 1981.

Os especialistas suspeitam que o fogo não tenha sido causado por causas naturais, mas o ministro do Meio Ambiente da Junta de Andalucía, José Fiscal, disse que "os bombeiros limitaram as duas frentes ativas e que 'as perspectivas são boas'".

Mas tudo, é claro, depende de como o vento vai se comportar na província de Huelva. Até agora, as rajadas fortes causaram um incêndio fora de controle, tanto que muitas estradas foram fechadas, deixando isoladas por algumas horas cerca de 50 mil pessoas em Matalascañas, uma cidade turística.

incêndio espanha 1

incêndio espanha 2

incêndio espanha 3

Felizmente, as condições do vento, nesta manhã de hoje, pareceram dar uma trégua e as principais rotas terrestres foram reabertas.

incêndio espanha 4

incêndio espanha 5

incêndio espanha 6

incêndio espanha 7

incêndio espanha 8

Uma das fêmeas de lince ibérico do centro de reprodução em cativeiro do El Acebuche Doñana morreu depois que ter sido retirada do centro por causa do fogo. A espécime teria morrido devido ao estresse sofrido durante sua captura e transporte.

Doñana é um dos mais importantes parques naturais da Espanha. Dentro dele coexistem vários ecossistemas diferentes: pântanos, dunas e lagoas, bosques e vegetação mediterrânea. Um habitat único que, graças à sua proximidade com a África, é importante para a migração de animais.

O parque é lar de mais de 300 espécies diferentes de aves e milhares de espécies diferentes de animais, incluindo precisamente o lince ibérico, considerado o felino mais ameaçado.

Leia também:

setaO INCÊNDIO EM PORTUGAL E A MONOCULTURA DO EUCALIPTO - PETIÇÃO URGENTE

setaQUEIMADAS NA AMAZÔNIA: DESTRUIÇÃO DA BIODIVERSIDADE

Fonte e fotos: El Pais