Recife de corais é descoberto no rio Amazonas

recifes

Pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) descobriram um grande recife de coral na foz do rio Amazonas, entre a fronteira do Amapá e a Guiana Francesa e que se estende até o Pará.

Rodrigo Moura, líder da equipe de cientistas, disse que a região, pouco conhecida, foi explorada em três expedições oceanográficas realizadas conjuntamente entre Brasil e Estados Unidos. O recife ocupa uma área de 9.300 quilômetros quadrados (equivalente a 20% da região metropolitana de São Paulo) e está entre 30 e 120 metros de profundidade.

Os cientistas afirmam que as características que geram as condições para a formação de recifes tropicais de coral são bem diferentes na área descoberta, que tem uma grande região de algas coralinas e alto nível de partículas em suspensão.

Segundo os pesquisadores, “sua saúde fornece informações sobre como os ecossistemas de coral podem reagir à aceleração do aquecimento global”. No estudo, eles destacam que perfurações para extrair petróleo perto dos recifes, na região amazônica, pode representar um grande desafio para esse sistema, que é exclusivo.

Os corais que formam os recifes são espécies ameaçadas pela mudança climática. Em uma recente pesquisa publicada por John Pandolfi, professor da Universidade de Queensland (Austrália), afirma-se que os corais Acropora (chifre-de-veado) têm rápido crescimento e são responsáveis por boa parte do desenvolvimento dos recifes modernos. Embora eles existam há pelo menos 50 milhões de anos, esses corais vêm desaparecendo pelo mundo.

O estudo foi publicado na revista científica Science Advances.

Leia também:

setaLINDO, COLORIDO, MAS MUITO PERIGOSO. O CORAL ASSASSINO QUE DESTRÓI ECOSSISTEMAS

setaATÓIS DO PACÍFICO INUNDADOS COM RESÍDUOS: 57 TONELADAS DE LIXO

Fonte foto: elpais