Inaugurada a primeira faculdade indígena do Brasil

  • atualizado: 

indios pedagogia

No mês passado foi inaugurada a primeira faculdade indígena do Brasil. Esta fica na Aldeia de Porto Lindo, município de Japorã, estado do Mato Grosso do Sul, a 480 km da capital, Campo Grande.

A faculdade dará o curso de Pedagogia e, já na primeira turma, atenderá a 40 alunos, 20 indígenas e 20 não indígenas. O curso será ministrado pela plataforma EAD (Educação à Distância) da UAB (Universidade Aberta do Brasil), para a extensão Joaquim Martins, localizada na aldeia. A faculdade ocupará duas das seis sala da escola indígena da Aldeia Porto Lindo. A Aldeia, de etnia Guarani, tem 4.900 índios, correspondendo a 63% da população de Japorã.

A UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) e da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) já se comprometeram com a abertura de novos cursos, para 2016, e o atendimento de mais 300 novos alunos.

Estes cursos, também no formato EAD pela UAB, serão dados no pólo da UAB Japorã, inaugurado em fevereiro passado e que já tem 100 alunos cursando o 5º ano do ensino fundamental (diurno). Segundo informou a professora Vanessa Pedrancini, a UEMS irá instalar dois cursos de graduação, em Ciências Sociais e Administração Pública e um de pós-graduação, Especialização em Gestão Pública abrindo, pelo menos, 160 vagas e a UFGD, abrirá nova turma de Pedagogia, para mais 40 alunos.

Esta conquista foi muito festejada por todos os habitantes da aldeia pois, concretiza um dos grandes sonhos do povo Guarani, o acesso à educação superior em seu próprio território. São palavras do seu líder, Roberto Carlos: “Hoje nasce o futuro dos povos guarani de Porto Lindo. Sinto orgulho de fazer parte dessa história. É a primeira faculdade dentro de aldeia no Brasil”. Aos calouros indígenas, o líder lembrou a necessidade de se adequarem à realidade para poderem sobreviver e, aos alunos não indígenas, deu as boas vindas.

A festa de comemoração foi grande, com danças típicas de um grupo indígena paramentado e com pinturas nos rostos.

“Estamos muito felizes hoje. Nosso povo vai poder ter futuro melhor. Aprender para ser professor é um sonho”, comentou o capitão da aldeia, Miguel Cáceres.

Leia também: Índio Doutor pela Universidade de Brasília

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!