Crueldade: criadores anunciam matança de Chinchilas

criadores anunciam matança de Chinchilas

Um projeto de lei que proíbe a criação de animais para a extração de peles em São Paulo, ainda aguarda pelo veto ou aprovação do Governador Geraldo Alckmin, mas já vem causando polêmica.

A chinchila é um animal criado com o único intuito de que sua pele seja utilizada na produção de roupas. Logo a atividade se enquadra exatamente na definição do projeto de lei em andamento e estaria, portanto, proibida caso haja a lei seja sancionada.

Com isso, os criadores anunciaram que matarão suas chinchilas, já que os animais não terão mais serventia. Inclusive, no interior de São Paulo, em Sorocaba, uma fazenda criadora anunciou no dia 06 de outubro o extermínio de cerca de 1.500 fêmeas – muitas delas grávidas.

Tais criadores afirmam que, mesmo assim, guardarão as peles, uma vez que o mercado, após a proibição deve mais que dobrar o preço da pele de chinchila.

Determinados criadores, inclusive, defendem seu “amor pelos animais” e que, mesmo matando chinchilas, têm cachorros e gatos. Dizem ainda que a chinchila só não é comercializada com a mesma finalidade por não haver um mercado com essa demanda.

Especialistas em direitos dos animais criticam a atitude dos criadores, defendem a doação dos mesmos e condena a matança. Inclusive, criticam a existência da demanda por peles, sobretudo por parte de pessoas da alta sociedade, que, mesmo estando em um país tropical, fazem questão de portar esse tipo de adereço.

Cá para nós, não tem nada mais cafona que ser desinformado. Pele animal é fora de moda, não pela moda em si mas porque não tem nada mais fora que desrespeitar os animais e o planeta em que vivemos.

O prazo para aprovação do PL é 28 de outubro de 2014.

Leia também: 10 ingredientes de origem animal escondidos nos cosméticos

Fonte foto: wikipedia.org