Por que você deve AGORA parar de comer carne de vitela

  • atualizado: 
vitela

Carne de vitela é uma das carnes mais apreciadas do mercado. Macia, suculenta há quem simplesmente não resiste a comê-la, mas existem motivos bastante fortes para que você pense mil vezes antes de comprar esse produto e levá-lo para tua mesa.

Neste conteúdo você irá descobrir o que está por trás da carne de vitela (do bezerro) e toda a crueldade envolvida na obtenção desse produto. 

 

1. Como é produzida a carne de vitela

Para se obter o leite das vacas leiteiras, em escala comercial, elas são engravidadas através de inseminação artificial, para terem filhotes, à cada 13 ou 14 meses. 

Quando nasce uma filhote fêmea, ela será criada para se tornar uma vaca leiteira, perpetuando todo este processo comercial, antinatural e de exploração, imputado aos animais pelos pecuaristas.

Caso nasça um filhote macho seu destino será ser abatido (morto) ainda bezerro, para virar carne de vitela.
Antes do abate, ele será alimentado, de forma artificial.

Os bezerros, mesmo pequenos, pesam de 100 a 200 kg, no momento do abate.

A carne de vitela é apreciada por ser tenra, clara e macia, só que o que as pessoas desconhecem, é que essa carne é obtida com muito sofrimento do bezerro macho.

2. Sofrimento desde o nascimento

Este sofrimento se inicia desde o primeiro dia de vida, no qual o filhote, ainda não desmamado, é separado de sua da mãe e confinado em um compartimento estreito e sem espaço, para não poder se movimentar.

Esse procedimento é para que o filhote não desenvolva músculos, para se produzir e obter uma carne mais macia.

A mãe do filhote macho permanece por semanas mugindo pela fala de sua cria e o filhote chora por não poder mamar!

O filhote fica, por meses, em estábulo com reduzidas dimensões, recebendo uma alimentação sintética, no lugar do do leite materno.

Além disso, para se produzir carne branca e macia, além da imobilização do animal, é suprimido o mineral ferro de sua alimentação, o deixando anêmico e somente fornecendo a quantidade necessária desse mineral, para que não morra até ser abatido.

A falta de ferro no organismo destes animais é tão sofrida, que eles entram em desespero buscando lamber material que tenha ferro, por isso, os produtores não colocam nenhum metal ferruginoso nos estábulos dos bezerros.

A falta desse mineral faz com os bezerros comam suas próprias fezes, buscando instintivamente resíduos desse mineral, coisa que em condições normais jamais fariam.

Alguns produtores para evitar dos filhotes comerem suas fezes, os coloca sobre um ripado de madeira, onde os excrementos caiam em um piso de concreto, que os animais não tenham acesso.

A base da alimentação desse filhotes é líquida e altamente calórica, para que a carne fica bem macia e os animais engordem de forma rápida.  Para forçar os filhotes a consumirem bastante o alimento líquido que lhes é dado, nenhuma outra fonte de líquido é fornecida, como água, por exemplo, induzindo eles a se alimentarem, quando na verdade estão é com sede.

Essas técnicas cruéis levam os filhotes a entrar em desespero, desenvolvendo úlceras e feridas na pele, devido sua agitação e nervosismo, por conta do espaço reduzido.

Para controlar essa reação dos animais, os produtores adotam o procedimento de manter os bezerros em completa escuridão durante 22 horas do dia, acendendo-se a luz somente durante a manutenção do estábulo.

Nesse processo tortuoso de confinamento, que é um verdadeiro campo de concentração de bezerros, os filhotes ficam completamente imobilizados, podendo somente movimentar a cabeça e abaixar o pescoço, para comer e não conseguem nem ao menos deitarem.

Os bezerros são abatidos com 3 a 7 meses de vida, melhor dizendo "subvida", uma vida de reclusão, maus-tratos e sofrimento, sem poderem ver a luz do Sol, sentir o calor de sua mãe e tomar do leite dela.

E para agravar essa situação, as pessoas comem esse tipo de carne sem saber que estão sendo responsáveis por toda essa violência e crueldade pois, se não houvesse consumidor, não haveria mais a produção dessa carne e tanta violência com estes animais!

3. A consciência contra a ignorância

A produção de vitela é uma das atividades comerciais mais imoral, cruel, antiética e repulsiva!

No Brasil não tem lei específica que proíba essa prática, ao contrário, da Europa, que já existe lei para este fim, por isso a importância de conscientizar as pessoas sobre o que está por trás da vitela que se consome.

Uma das formas de parar de alimentar a violência, que tanto se apregoa e combate, é a mudança de hábitos e de escolhas.

Parar de comer carne e alimentos de origem animal, como o leite e derivados, ou seja, vivendo o veganismo, é deixar de se ser conivente com toda engrenagem que produz o sofrimento e o abate animal.

Cada um de nós tem o poder de ser a mudança que pretendemos do mundo, e de promover a Paz que começa em nós, através de nossas escolhas, inclusive alimentares! O que levamos para nossas mesas não apenas alimenta nosso corpo como também o nosso espírito. Alimentar-se de sofrimento.... por favor... ninguém em sã consciência escolhe.

Educação e Informação podem salvar Vidas!
Revolucionemos!

Talvez te interesse ler também:

NÃO SOMENTE CÂNCER. CARNE VERMELHA AUMENTA O RISCO DE 9 TIPOS DE DOENÇAS

TIPOS DE ALIMENTOS: COMO A ALIMENTAÇÃO PODE INFLUENCIAR NOSSA ENERGIA

7 RECEITAS DE BACON VEGANO (SEM CARNE NEM PEIXE)

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!