Os animais que preveem o tempo e as catástrofes ambientais

  • atualizado: 
animais que preveem o tempo

As pessoas mais antigas viviam mais em contato com a Natureza e os animais. Nesse convívio se davam conta de que os animais, instintivamente, percebiam antecipadamente que o tempo iria mudar ou que um abalo natural iria ocorrer.

Em tempos remotos, a previsão do tempo acontecia dessa forma, com vários animais, através de suas reações sinalizando que mudanças do tempo estavam por ocorrer.

Animais como rãs, vacas, gatos, abelhas, pássaros, são capazes de pressentir a chegada de uma tempestade ou de um dia quente inesperado, apenas com seus sentidos e instintos.

Saiba mais como isto acontece, e de que forma os animais preveem o tempo ou pressentem catástrofes ambientais!

 

1. Animais que preveem o tempo

CÃES E GATOS

cao-e.gato

Cães e gatos percebem que uma tempestade se avizinha através de seus potentes sentidos, o faro e a audição. Eles sentem o cheiro de mudança na atmosfera, ouvem a aproximação da tempestade e sinalizam isso com nervosismo, muitas vezes até de medo e agitação. Através desses sentidos, eles percebem facilmente o aumento da umidade ou sentem o rebaixamento da pressão atmosférica que geralmente marca a chegada do mau tempo.

ANDORINHAS

andorinhas

As andorinhas voando a grandes altitudes calmamente indicam que o tempo está estável. Por outro lado, se o voo delas se aproximar do solo, o mau tempo está chegando, pois a alteração da pressão atmosférica causada pela aproximação da tempestade, dificulta delas voarem em alta altitude. Cientistas acreditam que elas podem escutar coisas que os humanos não conseguem ouvir, e podem perceber que uma grande tempestade está chegando. Quando as andorinhas e outras aves percebem uma grande tempestade se formando, ou até um furação, se debandam do local, de imediato, para escapar do perigo que pressentem.

BOVINOS

bovinos

O gado é capaz de prever mudanças climáticas, pois, antes da chegada do temporal, os bovinos ficam ansiosos e inquietos, agitando suas caudas procurando um abrigo para se refugiarem ou se deitam na grama unidos para se protegerem.

OVELHAS

ovelhas

As ovelhas pressagiam a chegada da tempestade e isso ocorre quando elas se unem e ficam bem juntinhas, protegendo-se umas às outras.

ABELHAS E BORBOLETAS

borboletas

Quando as abelhas, borboletas e outros insetos deixam de circular entre a vegetação onde costumeiramente sobrevoam, é um anúncio que o temporal está chegando.

JOANINHAS

joaninha

A presença de numerosas joaninhas indicam a chegada de dias quentes e ensolarados e, se acontecer o contrário, com elas em a busca de refúgio, isto é um alerta de que a temperatura vai cair bruscamente.

FORMIGAS

formiga

As formigas têm o hábito, quando pressentem tempestade à vista, de fazerem montes no solo para protegerem a entrada de seus formigueiros. Montes mais altos e resistentes na superfície do formigueiro é sinal que a chuva está vindo!

SAPOS E RÃS

sapos

O canto alto e intenso desses anfíbios indica a chegada de chuva. Eles utilizam os lugares úmidos para se reproduzirem e porem seus ovos. Ao sentirem que a chuva se aproxima, eles avisam, uns aos outros, que é o momento do acasalamento. Nesse contexto, irão acasalar e as fêmeas irão botar seus ovos.

MARMOTAS

 marmotas

Nos Estados Unidos, a marmota é o animal bem popular e que prevê as mudanças climáticas. Tamanha é a popularidade da marmota e sua habilidade de prever o tempo, que todo dia 2 de fevereiro nos Estados Unidos é festejado o Dia da Marmota, conhecido como “Groundhog Day”, uma comemoração feita tradicionalmente há mais de 100 anos.

Segundo a tradição, nesse dia específico, se a marmota sair de sua toca, mesmo o tempo estando nublado, é sinal que o inverno logo se acabará, entretanto se ela sair com o sol brilhando e tomar um susto com a própria sombra, então o inverno se prolongará por mais 6 semanas. A cidadezinha chamada “Punxsutawney” que fica na Pensilvânia, nos Estados Unidos, é o que lugar mora uma marmota mundialmente famosa, conhecida por “Phil”.

Ela anuncia a prolongação ou não do inverno todos os anos e por isso ela tem uma enorme importância no local, sendo protegida pelo clube das marmotas da cidade, que também organiza o festival, no Dia da Marmota.

Essa marmota vive na biblioteca da cidade e todo o dia 2 de fevereiro às 07h25min da manhã ela é retirada desse local para prever a duração do inverno! Os habitantes da cidade dizem que “Phil” já é um ancião centenário e que o motivo dessa longevidade é sua alimentação balanceada e saudável, aliada ao seu relacionamento com a marmota “Phyllis”.

2. Os animais que pressentem as catástrofes ambientais

Existem muitos testemunhos de pessoas que viram aves e animais migrando antes de terremotos, maremotos e erupções vulcânicas ocorrerem. Acontecimentos assim levam a crer que os animais são dotados de um "sexto sentido", devido a uma relação deles muito próxima com a natureza, fazendo com que eles consigam prever as catástrofes ambientais.

O fato é que os animais têm alguns sentidos mais aguçados do que os do ser humano e são capazes de perceber vibrações e mudanças na pressão do ar, mudanças fisioquímicas nos ambientes em que vivem, bem como as primeiras oscilações que vêm do interior da terra e, quando pressentem tudo isso, fogem buscando um lugar seguro.

Conheçam alguns destes animais e como manifestam essa capacidade de pressentir catástrofes ambientais:

COBRAS

As cobras podem sentir a libertação de energia que causa os tremores de terra, cerca de 120 horas antes dos sismógrafos os registrarem, e dos humanos sentirem o chão tremer debaixo dos pés. Isso inclusive foi constatado por cientistas chineses. Segundo os pesquisadores, dentre os répteis, a cobra é a que mais rápido sinaliza os movimentos na crosta terrestre. Horas antes de ocorrer um abalo, as cobras ficam muito agitadas e desesperadas. Uma comprovação disso foi o que ocorreu no dia 25 de junho de 1966, em Parkfield na Califórnia-Estados Unidos, quando a cidade foi invadida por cobras cascavéis fugindo das colinas. Os moradores da cidade na hora ficaram perplexos, sem entender, mas a explicação veio dois dias depois quando a área foi abalada por um terremoto.

MINHOCAS

O filósofo alemão Immanuel Kant , em 1755, viu muitas minhocas saindo do subsolo perto de Cadiz, sul da Espanha, oito dias antes de um grande terremoto atingir Lisboa-Portugal.

ANTÍLOPES

Na Áustria, em 22 de fevereiro de 1999, pequenos antílopes fugiram da região montanhosa do Tyrol para os vales e, no dia seguinte, ocorreu uma avalanche que devastou a vila de Galtur, matando dezenas de pessoas.

GATOS E CÃES

Na cidade de Seattle, no 28 de fevereiro de 2001, um grupo enorme de gatos se escondeu 12 horas antes de um terremoto que atingir a área. Os cães latiam desesperados antes do terremoto acontecer. No Haiti, no dia 12 de janeiro de 2009, o cão chamado K9, estava calmo deitado no meio de um escritório e, de repente, começou a se desesperar querendo fugir do local, ele havia captado o que iria ocorrer pouco depois de sua reação de fuga, que foi a grande tragédia que abalou o Haiti! Este fato foi relatado em uma matéria do Daily Mail, que divulgou um vídeo mostrando o momento exato em que este cão labrador saiu em disparada, pouco antes do tremor de terra.

GALINHAS E PATOS

No dia 26 de dezembro 2004 houve um tsunami no Oceano Índico, com mais de 285.000 de pessoas mortas. Ondas gigantes invadiram até 3,5 quilômetros terra adentro na maior reserva ecológica da ilha do Pacífico. As galinhas e patos subiram para árvores ou lugares altos, antes de ocorrer o tsunami, mas as pessoas não se deram conta do que estava por vir!

3. Os animais conhecem a linguagem da Natureza

O veterinário PhD Robert Eckstein, estudioso do comportamento animal no departamento de biologia da Warren Wilson College, em Asheville, Estados Unidos, reforça tudo isso com a seguinte afirmação:

“os animais sentem aspectos do mundo real que nós não temos conhecimento.”

Desde a antiguidade, vários acontecimentos vêm comprovando esta capacidade dos animais de antever catástrofes ambientais. Um dos fatos deste tipo que despertou a atenção das pessoas, ocorreu em 1975 quando os funcionários da cidade chinesa de Haicheng viram os animais se debandando da região, na qual viviam 90 mil habitantes, logo depois um terremoto de escala 7.3 atingiu a cidade, destruindo 90% dos edifícios.

O ser humano, com o uso da tecnologia poder fazer a previsão meteorológica, porém os animais fazem isso sem o uso do intelecto e de forma natural. Os animais usam o seu instinto e alguns sentidos que lhe são inerentes, além das habilidades as quais são dotados. Ao observar os animais podemos perceber a comunicação que eles têm com a Natureza e a linguagem usada nessa comunicação, que pode nos revelar avisos de vital importância!

Sejamos atentos!

Talvez te interesse ler também:

MILHÕES DE ANIMAIS MORTOS: O FURACÃO FLORENCE ACENDE O ALARME SOBRE A CRIAÇÃO INTENSIVA

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!