Na Índia o smartphone que afasta mosquito com ultrassom

  • atualizado: 
mosquito away

Mosquitos, irritantes e portadores de doenças. Conhecemos bem o problema e, para mantê-los o mais afastados possível, a LG adicionou uma característica a mais em um dos seus novos smartphones, uma espécie de repelente de alta tecnologia que os mantêm longe do homem.

O repelente, presente no smartphone da LG, o modelo K7i, emite ultrassons que prometem remover mosquitos e mais outros insetos em geral. É a chamada "Ultrasonic Mosquito Away Technology”".

A inovação fora apresentada no India Mobile Congress que ocorreu no inicio deste mês e tem todas as burocracias em dia para se tornar um must have nos países infestados por mosquitos.

O K7i promete afasta-los com a ajuda do ultrassom. Esta não é uma tecnologia completamente nova, e já foi integrada em outros dispositivos da LG, como televisores e condicionadores.

Não usa produtos químicos e não requer recarga, pois emite ultrassom de 30 KHz através de um difusor localizado na parte de trás do telefone. Além disso, este último é vendido junto com um pedestal para ser usado para manter os mosquitos longe de uma área específica da casa.

A LG afirma que esta é uma tecnologia realmente eficaz que passou por vários testes e foi certificada pelo Instituto Internacional de Biotecnologia e Toxicologia da Índia. Mas ainda muitas dúvidas giram em torno do K7i.

Conforme relatado pela CNN, o American Mosquito Control Association cita dez estudos ao longo dos últimos 15 anos que têm demonstrado a ineficácia de todos os repelentes de mosquitos com base em ultrassons.

Por sua vez, a LG se defende dizendo que seu novo dispositivo K7i conseguiu repelir 72% dos mosquitos durante os testes.

No papel, visto que os indianos gastam mais de 700 milhões de dólares por ano em insecticidas domésticos, a LG K7i tem todas as credenciais para ser bem sucedida em casa e nos países vizinhos, onde os mosquitos são um problema sério. O custo do dispositivo é de cerca de 235 euros.

Poderia esta ser uma nova função dos nossos smartphones ou apenas uma solução ineficaz que apenas engana o consumidor?