“Parem de comer cães e gatos”: o manifesto de Animal Asia nas cidades da China

manifesto de Animal Asia nas cidades da China

Parem de comer cães e gatos. Pede aos cidadãos chineses uma campanha publicitária provocativa lançada pelo grupo Animals Asia nas principais cidades da China, de Pequim a Xangai, passando por Guangzhou.

As imagens dos 279 anúncios afixados nas ruas, elevadores, estações de metrô, trens e ônibus, falam por si só. Todos os cartazes têm animais de estimação emolduradas por pauzinhos em vários contextos. Um deles estrelado por uma menina e dois cães com as palavras: "O que você acabou de colocar na boca pode ser o melhor amigo de seu filho durante o seu crescimento".

Os cartazes têm a intenção de informar o público sobre os riscos do consumo de carne de cachorro e gato à saúde. E para incentivar as pessoas a refletirem sobre o por quê de elas comerem animais que poderiam ser considerados amigos e não comidas (esta é uma mensagem universal, que na cultura ocidental, deveria igualmente considerar como amigos os porcos, as vacas, galinhas etc).

"Sabemos que, se informada, a maioria das pessoas optam por não comer carne de cachorro e gato. Há implicações para a saúde, sem levar em conta que os cães e gatos, servidos como alimento, muitas vezes foram roubados de uma família amorosa", lembra Jill Robinson, heroica fundadora da Animals Asia. Além disso, acrescentamos nós, a contribuir para o consumo de carne, existe a injustificada ausência de leis adequadas para a proteção animal das terríveis condições nas criações de animais para abate (documentado recentemente por uma investigação da Animal Equality).

"A boa notícia é que a consciência está se espalhando. A reação que recebemos do público para os cartazes foi incrível, assim como a vontade de compartilhar ainda mais as mensagens. Não erramos: o bem-estar animal tem se tornado cada vez mais importante na China e também a indústria da carne de cão e gato é hoje chamada para se pronunciar", conclui Robinson.