Professor da Unesp promove campanha contra marcação de fogo na face de bovinos

  • atualizado: 
marcação de fogo

A consciência sobre a importância de proteção aos animais vem crescendo cada vez mais em todo o mundo e, também, no Brasil. Nós sempre damos espaço para campanhas que protegem a vida dos animais, como a do professor Mateus Paranhos, da Unesp em Jabotical, que se posiciona contra a marcação de fogo na face dos bovinos com a justificativa de controle da saúde.

Paranhos é especialista em comportamento e bem-estar animal e a campanha encabeçada por ele vai contra a Lei nº 4714, de 1965, do Ministério da Agricultura, que obriga todas as fêmeas de bovinos e de bubalinos, vacinadas contra a brucelose, serem marcadas na face como forma de identificação de que foram realmente vacinadas.

A lei é totalmente anacrônica e não é mais possível que o Brasil ainda se baseie em uma lei de 1965 para identificar animais vacinados, sendo que existem opções mais modernas e menos danosas. Infelizmente, essa portaria não se preocupou com o bem-estar dos bovinos, mas sim em deixar o couro intacto, uma motivação superficial para tanta crueldade.

Várias pesquisas, realizadas em todo o mundo, já comprovaram o grande estresse pelo qual os animais passam com a marcação de fogo na face.

A face do animal, segundo o professor, é uma região altamente sensível à dor. A sugestão dele é que a marca seja feita na perna, local onde não é tão sensível.

A Sociedade Brasileira de Etologia (SBEt) também se manifestou sobre essa prática e fez uma moção de apoio, na qual destaca que, cientificamente, reconhece-se que a marcação a fogo é extremamente dolorosa para os bovinos, sobretudo, na face.

A campanha visa a chamar a atenção da sociedade e sensibilizá-la para o problema, que afeta milhares de animais em todo o Brasil. Outra possibilidade seria usar a marcação eletrônica, como já foi adotada, por exemplo, no Canadá desde 2006. Métodos eficazes de identificação devem ser tomados para fins de registro genealógico e de controle de brucelose, mas que não causem sofrimento aos bovinos.

Mais informações sobre a campanha você encontra aqui, além do contato de Paranhos para forçar o Ministério da Agricultura a suspender essa lei absurda.

Especialmente indicado para você:

setaCAMPANHA PEDE PELO FIM DA TORTURA DE PORCAS

setaCAMPANHA CHOCANTE MOSTRA A CRUELDADE POR TRÁS DE ARTIGOS DE LUXO

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!