10 mitos sobre o comportamento dos cães

mitos_cachorro

Todos nós sabemos da necessidade de se checar as fontes da informações que lemos e escutamos, sobretudo, na internet, onde, devido ao grande fluxo informacional da rede, há muitas lendas e mentiras contadas. Muitas delas é sobre o comportamento dos cães.

É bom que nos informemos sobre o comportamentos dos nossos amigos para que tenhamos condições de cuidar deles melhor. Por isso, a seguir, estão alguns mitos contados sobre aspectos comportamentais de cães que vamos esclarecer para você. 

1. Eles não enxergam cores

O mito de que cães não enxergam cores e que eles só percebem em preto e branco não se sustenta. Os cães não enxergam da mesma forma que os humanos, mas eles podem, sim, ver algumas cores, sobretudo, tons amarelos, azuis e violetas. Entretanto, os cães têm vantagens visuais que nós não temos. Na retina do olho de um cão, há mais hastes (os fotorreceptores responsáveis pela visão escotópica, que é a visão em baixos níveis de luz). Isso dá a eles uma visão noturna superior à dos seres humanos.

2. Abanar o rabo significa que eles estão felizes

Quando um cão abana o rabo, isso pode indicar felicidade, mas não apenas isso. A cauda é a principal fonte de comunicação de um cão. Alguns gestos são óbvios, como, por exemplo, o rabo entre as pernas mostrar medo, arrependimento ou culpa.

Quando um cão demonstra felicidade, toda a parte de trás do seu corpo começa a balançar junto com a cauda. Já um cão com a cauda levantada e abanando-a lentamente indica cautela. 

Se a cauda está abaixada e abanando freneticamente, isso pode sugerir que o cão está prestes a correr ou lutar (dependendo da situação). 

3. Quanto maiores eles forem, maior o tempo de vida deles

A média de vida de raças pequenas, como o Chihuahua e o Dachshund, é de cerca de 14 a 15 anos, já a média de vida de raças maiores, como o Malamute do Alasca, é de 8 a 10 anos. O tempo de vida diminui ainda mais para as raças “gigantes”, como o São Bernardo, que possuem uma expectativa de vida média inferior a 8 anos.

Os cientistas explicam esta tendência através da análise do uso de energia corporal. As células do corpo de mamíferos maiores são mais lentas e mais eficientes, o que significa que duram mais tempo. 

Entretanto, a expectativa de vida dos cães de raças maiores diminuiu com a domesticação. Eles crescem muito no primeiro ano de vida, mas também envelhecem rapidamente, o que significa que suas vidas são encurtadas.

4. Eles não podem ver TVs de tela plana

Os cães são incapazes de perceber as imagens em uma TV de tela plana? Mito. O que acontece é que as antigas TVs de tubo produziam imagens em cerca de 24 quadros por segundo, o que, para nós, parecem imagens em movimento. Isso porque nós temos uma frequência crítica de fusão de luz vacilante (o número de quadros que precisamos ver em um segundo para perceber um filme como algo contínuo, e não um grande conjunto de imagens paradas) de cerca de 16 a 20 quadros por segundo.

Em cães, tal frequência é de 40 a 80 quadros por segundo. Logo, quando eles assistem a TVs antigas, enxergam um monte de cintilação. Na tela plana, o número de quadros fornecidos em um segundo é muito maior do que a taxa produzida por televisões antigas. Além disso, há provas de que os cães reagem a imagens em TVs de plasma, logo eles são capazes de ver alguma coisa quando estão na frente de uma televisão.

5. Você deve despertá-los se achar que estão tendo um pesadelo

Não se sabe, de fato, se os cães sonham, embora haja evidências que indiquem isso. Cães passam pelo sono REM (movimento rápido dos olhos), que é o tipo de sono que temos quando estamos sonhando.

Muitos donos de cães afirmam vê-los e escutá-los se lamentando enquanto dormem. Acordá-los, nesses momentos, pode ser muito estressante para o animal. Como os seres humanos, cães necessitam de uma certa quantidade de sono profundo para assegurar uma boa saúde mental e o seu desenvolvimento normal.

Os cães dormem bastante por dia, entre 14 e 16 horas! Mas nem todo esse tempo é de sono profundo. Quando um cão parece estar sonhando, ele pode estar ganhando alguns minutos deste sono profundo vital para o seu desenvolvimento e sua saúde. 

6. Se seus narizes estão molhados, eles estão saudáveis

Na verdade, um cão com um nariz quente e seco pode ser tão saudável quanto aquele cujo nariz está frio e úmido. A temperatura e a umidade do nariz de um cão são variáveis ao meio ambiente.

Um cão com um nariz molhado e gelado pode estar sofrendo de uma doença grave, da mesma forma que um cachorro com um nariz quente e seco. Se o seu cão está com o nariz seco, ele pode apenas ter tirado uma soneca ao sol. 

7. Bacon não irá prejudicá-los

É sabido que os cães não podem comer tudo o que os humanos comem, como chocolate e outras guloseimas. Nessa lista proibida entra, também, o bacon, embora seja um tipo de carne.

O bacon é prejudicial aos cães por causa dos seus altos níveis de gordura, que podem provocar inflamação do pâncreas dos cachorros. A pancreatite diminui a capacidade do pâncreas, o que significa que ele pode não funcionar corretamente. Isso pode levar seu cão a fazer a digestão dos alimentos de forma incorreta e levá-lo a adoecer.

Leia também: 10 ALIMENTOS QUE NÃO DEVEMOS DAR AOS NOSSOS CÃES

8. Buldogues ingleses tiveram um erro no cruzamento de raças

Com seus ombros atarracados, mandíbula projetadas para fora e pele enrugada, o Buldogue Inglês é provavelmente uma das mais distinguíveis entre todas as raças de cães. 

Um dos riscos dessa raça é a síndrome braquicéfala, comum em cães com cabeças curtas e narinas estreitadas. Pode acontecer de uma via aérea obstruída provocar essa síndrome no cão ao puxar o ar com o nariz constantemente, lutando para recuperar o fôlego.

O Buldogue Inglês foi criado para ter esta estrutura facial estranha para melhorar a sua respiração em sua finalidade inicial, a de caçador de touros. O crânio curto e plano do buldogue realmente o ajudou a respirar quando ele mordia os touros, uma vez que ele poderia manter um controle firme sobre o animal enquanto ainda era capaz de respirar pelo nariz. Por isso, o desenho da cabeça dos Buldogues foi intencional para ajudar o cão.

9. Cães gostam de ser abraçados

Para os cães, um abraço não é um gesto amoroso e reconfortante de carinho. Eles interpretam o posicionamento de um membro sobre o corpo como uma posição dominante, deixando-os ansiosos. Esta é a ação que usamos quando estamos abraçando. Com o gesto do abraço, é retratado o nosso domínio, no ponto de vista deles.

Se o seu cão não gosta de abraços, não significa que ele gosta menos de você.  

10. Cães comem grama quando estão doentes

De acordo com pesquisas, menos de 10% dos cães que comem grama estão doentes.

Um cão pode comer grama devido a uma condição que faz com tenha a necessidade de comer algo que contenha nutrientes e minerais  que estão faltando em sua dieta. Ele, também, pode estar entediado, levando-o a comer coisas bastante estranhas, como lascas de tinta.

A grama pode representar, também, um território conquistado.

Uma outra explicação para esse comportamento é que, simplesmente, eles gostam do sabor da grama. 

Leia também:

OLHOS MUITO LACRIMEJANTES EM CÃES, O QUE PODE SER?

SAIBA COMO PROCEDER EM CASO DE ENVENENAMENTO DE CÃES E GATOS

Fonte: hypescience