Pássaros gays é o segundo caso já registrado

Pássaros gays

A homossexualidade é um assunto debatido no mundo inteiro, porém, a força dessa discussão costumava ficar restrita aos seres humanos. Costumava! A ciência observa, já há algum tempo, o comportamento sexual dos animais e já puderam notar que a homossexualidade também existe no mundo animal. No caso deste artigo, falaremos de um casal de pássaros gay, o segundo já registrado. Anteriormente, no ano de 2005, um casal gay de pinguins do zoológico de Bremerhaven, na Alemanha, se formou e até adotou um filhote.

Pois é! Nós e os nossos preconceitos, mas na natureza é assim e a sociedade precisa aprender mais uma com os animais: a homossexualidade é natural, tão natural quanto ter olhos azuis ou marrons. Veja mais um exemplo:

Um casal homossexual de tentilhões-zebra, também chamados de pássaro mandarim (Taeniopygia guttata), espécie que habita praticamente o mundo todo, principalmente o Hemisfério Norte, se juntou para formar, aparentemente, um amor pra vida toda

Este casal recebeu um ovo abandonado e os adotou, para surpresa de muita gente. Trata-se de um casal de dois machos, e os dois estão se comportando como um casal de heterossexuais, protegendo, cuidando e alimentando o filhote adotivo.

Estes casos resultaram em um estudo publicado na Behavioural Ecology and Sociobiology, que comprovou que eles são como os pinguins homossexuais: afetivos e dedicados aos filhotes. Julie Elie, da Universidade da Califórnia, em Berkeley, afirmou à BBC Nature que “as relações dos animais podem ser mais complicadas do que apenas um macho e uma fêmea que se encontram e se reproduzem, mesmo em aves”. Julie conduziu o estudo através de comportamentos heterossexuais demonstrados por pares macho-macho de fringilídeos.

Mas o mais legal disso tudo, é que os pássaros continuam monogâmicos, mesmo nas relações homossexuais. Ou seja, eles formam casais, cuidam de filhotes e não traem, o fato de serem um casal gay em nada muda.

Outro ensinamento que fica então: homossexualidade não é perversão, não é doença e nenhum desvio de comportamento, portanto nenhuma igreja o "cura".

Leia também: 

A nova espécie de caracol que se tornou bandeira do direito ao casamento gay

Duas pessoas se beijam atrás de uma tela e o público vai ao delírio. Emocionante!

Sexo oral entre machos: os ursos-pardos também fazem

Fonte foto: wikipedia.org