511 chifres de elefantes são apreendidos na Tailândia

elefantes Tailândia

Os chifres de marfim pesavam nada mais nada menos que 3 toneladas da mercadoria falsamente identificada como folhas de chá provenientes do Quênia. Na semana passada, um recorde: 4 toneladas de marfim já tinham sido apreendidos no mesmo país.

A descoberta, que valeria milhões de dólares no mercado negro, tinha destino a Laos, onde floresce o comércio ilegal de marfim.

Alguns chifres mediam quase dois metros de comprimento. Uma vez que chegassem a Laos, as peças provavelmente seriam vendidas a chineses, vietnamitas ou voltariam para a Tailândia, países onde peças feitas de marfim são muito cobiçadas, gosto que está levando os elefantes selvagens à extinção.

Pulseiras e colares de marfim

Peças de marfim

fotos: traffic.org

Laos "está cada vez mais sendo usado como um importante ponto de trânsito para esses grandes volumes de marfim ilegal e outros produtos de animais selvagens", disse à AFP, Chris Shepherd, do grupo de conservação animal Traffic. As apreensões nestas escalas enormes são de grande preocupação e a questão agora é investigar se o marfim é proveniente de elefantes sacrificados recentemente, ou se havia estoques de marfim na África, acrescentou.

Por causa deste gosto ultrapassado por coisas feitas de animais selvagens, os elefantes podem desaparecer da natureza dentro de algumas décadas, advertem os ativistas. E graças à pressão internacional, a Tailândia começou uma operação contra o comércio de marfim, principalmente pela ameaça da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas (Cites, na sigla em inglês) de banir toda a atividade de vida selvagem se o país não conseguisse conter o comércio ilegal de animais em seu território.

Segundo a lei tailandesa, o marfim registrado e de proveniência de elefantes tailandeses domesticados, pode ser comercializado, mas especialistas dizem que a permissão dá brecha para que quadrilhas criminosas façam lavagem de marfim africano ilegal para ser inserido no comércio.

Ironicamente, os elefantes são reverenciados na Tailândia e fazem parte da identidade do país. Apesar disso, a Tailândia é constantemente realçada por meio de análise do Sistema Elephant Trade Information (ETIS), que TRAFFIC administra em nome da CITES Conferência das Partes, como um dos países mais problemáticos em todo o mundo no que diz respeito ao comércio ilegal de marfim.

A dica que fica sempre é não comprar nunca peças feitas de marfim ou de materiais de qualquer outro animal selvagem, cuja proveniência se desconhece.

Leia também:

Uso de marfim na China pode extinguir existência de elefantes na África

Chimpanzés, bonobos, gorilas e orangotangos sofrem com o comércio ilegal

Fonte foto capa: freeimages.com