Por que as zebras têm listras?

Por que as zebras têm listras

Uma das questões mais fascinantes da ciência é, sem dúvidas, a que se refere a como as zebras foram acabar apresentando listras. E isso tem sido investigado a tempos. Recentemente, uma das questões que interferem no processo foi revelada: a temperatura. Saiba mais a seguir.

Um grupo de cientistas, liderado por Brenda Larison, da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, EUA, descobriu que a quantidade e a intensidade das listras podem ser previstas por meio da temperatura do ambiente, no habitat das zebras.

Em um estudo publicado no prestigiado jornal online da Royal Society, os pesquisadores apresentam a tese de que a ligação entre a ocorrência de listras e a temperatura tende a apontar a múltiplos benefícios – inclusive: controle da temperatura corporal de zebras e proteção das mesmas contra doenças, transmitidas por moscas, por exemplo.

Tal variável acaba demonstrando uma questão muito mais complexa a respeito das listras, do que era antes considerado pela ciência.

Para estudar melhor o padrão das listras, os cientistas tomaram como ponto de observação para o estudo a zebra das planícies ou zebra-comum (Equus quagga) quem tem uma ampla variedade de padrão de listras.

Nos animais que vivem em climas mais quentes, as listras são mais grossas e cobrem o corpo inteiro, em outras – nas de clima com inverno mais acentuado –as listras são menos numerosas, afinadas e claras. Há, inclusive, exemplares de zebras sem listras nas patas, ou em algumas partes do corpo.

As zebras evoluíram dos cavalos, há cerca de 2 milhões de anos, segundo biólogos. Cientistas elaboraram uma hipótese na qual as listras de zebras evoluíram de uma combinação de quatro razões principais: confundir predadores, proteger contra insetos vetores de doenças, controlar temperatura corporal e coesão social. Enquanto numerosos estudos do fenômeno tinham como foco apenas uma hipótese, o novo estudo testou um variado conjunto de hipóteses.

Foram analisadas zebras de 16 diferentes localidades da África e consideradas mais de duas dúzias de fatores ambientais; de modo que os estudiosos entenderam que a temperatura foi o mais forte elemento de definição do tipo de listras de zebras. A descoberta fornece a primeira evidência de que, controlar a temperatura corporal, ou termorregulação, é a principal razão para que haja listras e que se formem determinados padrões.

Leia também: Baleias: seus hábitos respiratórios se modificam para se protegerem dos ataques das gaivotas

Fonte foto: freeimages.com