Alta tecnologia para a preservação de rinocerontes

Alta tecnologia para a preservação de rinocerontes

Um aliado de altíssima tecnologia será a grande arma contra a terrível caça ilegal de rinocerontes. A grande matança desses animais – 1.004 mortos em um ano, 2013, recorde até agora – se deve a vários fatores, desde o financiamento de grupos terroristas à caça como esporte.

A caça tem ameaçado algumas espécies de extinção, como o rinoceronte branco do norte, do qual nós falamos aqui.

O celebrado apoio para desbaratar a rede de violência contra os rinocerontes em todo o mundo é, nada mais, nada menos, que um telescópio espacial, resultante de um projeto que foi elaborado por estudantes da Universidade inglesa de Cranfield, que tomou como base a tecnologia que é desenvolvida pela Agência Espacial Europeia e que é apenas aplicada em veículos aéreos não-tripulados ou em telescópios espaciais.

Com o uso do instrumento, busca-se um monitoramento mais intensivo das áreas onde ocorre a caça ilegal de rinocerontes, de modo a auxiliar guardas florestais a combater, esperamos que de forma definitiva, a prática nociva à biodiversidade e à integridade desses animais.

Previsões dão conta de que o ano de 2015 possa ser ainda mais grave do que foi o ano de 2013 – recorde anterior de matança de rinocerontes, com 1.004 mortos. Para evitar essa previsão de mortandade neste ano que acabou de começar, a ideia é a de utilizar estas altas tecnologias para fazer a observação nos setores de busca, salvamento e conservação de vida selvagem.

Com tecnologias avançadas que envolvem mapeamento do campo com imagens em curvas, há a grande possibilidade de se produzir imagens aéreas de grande qualidade com um custo mais baixo, bem como oferecer maior capacidade de controle em relação às alternativas já existentes atualmente.

Leia também: Uso de marfim na China pode extinguir existência de elefantes na África