120 Chefes de Estado na Cúpula do Clima em Nova Iorque, contra o aquecimento global

120 Chefes de Estado na Cúpula do Clima

Começa hoje, terça-feira, a Cúpula do Clima, na sede da ONU em Nova Iorque, com mais de 120 Chefes de Estado que irão traçar as políticas para o enfrentamento do aquecimento global. A Cúpula é uma preparação para a Conferência do Clima que será realizada em Paris, no próximo ano, onde as discussões deverão estar avançadas e alinhadas.

A Cúpula promete ser um sucesso, pois a questão ambiental a cada dia ganha mais força. Neste final de semana, o mundo inteiro marchou na Caminhada pelo Clima, o que significa que a atenção para os resultados da Cúpula é muito grande e os seus resultados são mais do que aguardados.

Os maiores emissores de gases de efeito estufa, China, Índia e Estados Unidos serão os pontos-chave mas, enquanto o presidente americano, Barack Obama, confirmou sua presença, a China enviará apenas um vice-primeiro-ministro, Zhang Gaoli, e a Índia seu ministro da Ecologia.

A prévia à Conferência de Paris, se deu porque os países participantes concordaram sobre a necessidade de um acordo significativo forte, global e legal sobre as questões climáticas até 2015. O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, convocou a Cúpula do Clima de 2014 para mobilizar a ação à frente de 2015 e para aumentar a vontade política para maiores ações e ambições na solução do problema.

Como será a Cúpula

A Cúpula irá se concentrar em ações climáticas tangíveis. A Cerimônia de Abertura será seguida de sessões plenárias, durante as quais os Chefes de Estado e de Governo deverão anunciar suas novas ações nacionais a serem seguidas. Um Fórum do Setor Privado incidirá sobre a questão do preço do carbono, discutirá e anunciará novos compromissos entre agentes públicos e privados. Além disso, novas iniciativas serão anunciadas por governos, empresas e organizações da sociedade civil. Sessões Temáticas tratarão sobre a política e as práticas em questões críticas, relativas às ações climáticas. Após as reuniões, O Secretário-Geral irá resumir o que foi feito e o que ainda falta fazer pela mudança climática.

Qual será o seu resultado?

O resultado será a compilação dos anúncios feitos pelos líderes de governo, negócios, finanças e pela sociedade civil, durante a Cúpula, para o enfrentamento da mudança climática, além de renovar a esperança, o otimismo e a força para esta batalha global.

O que podemos esperar dos líderes?

O Secretário-Geral pediu aos líderes mundiais para que fosse para a Cúpula para anunciarem ações ousadas que eles irão tomar em seus países. Haverá também anúncios de uma série de iniciativas de cooperações que têm alto potencial para catalisar a ambiciosa ação.

Essas cooperações, feitas por participantes de governos, setor privado e sociedade civil, irão abordar diversas áreas de alto impacto no clima, como finanças climáticas; eficiência energética; energias renováveis; adaptação; redução do risco de desastres; florestas; agricultura; transporte; poluentes climáticos de curta duração e cidades. É também uma oportunidade para que os líderes empresariais se envolvam em Caring for Climate visando o progresso do papel das empresas no combate às alterações climáticas.

Enquanto um convite é necessário para participar da própria Cúpula, haverá muitos eventos relacionados com o clima que ocorrem durante toda a semana de setembro de 22 a 28. As informações sobre esses eventos podem ser encontrados na Semana do Clima.

Haverá quatro sessões temáticas participativas para promover discussões de alto nível sobre questões que são fundamentais para a ação climática. Estas sessões incluem: a Ciências da Mudança Climática; Saúde e Emprego; Porquê a Ação Climática faz sentido para o Crescimento Econômico e dos Negócios; Vozes do Clima das Linhas de Frente, incluindo jovens, povos indígenas, habitantes dos Pequenos Estados Insulares em desenvolvimento, e as mulheres.

Leia também:

Discurso da Presidente Dilma Roussseff na Cúpula do Clima: em que país ela vive?

Como foi a Caminhada pelo Clima no Brasil e no mundo

Clique aqui para acompanhar a Cúpula ao vivo.

Fonte: un.org