Carnaval 2019: como pular dentro do mínimo impacto ambiental possível

  • atualizado: 
Carnaval 2019

O carnaval está se aproximando e para quem é folião dá para curtir a festa minimizando o impacto ambiental. Pequenas ações podem garantir que o meio ambiente seja preservado sem impactar na sua diversão.

Separamos algumas dicas para que você brinque a festa do carnaval sem ficar com aquela ressaca... ambiental, pelo menos.

 

1. Fantasias

Não compre fantasias: use a criatividade e economize. Reutilize e recicle o que tiver em casa, enfim, improvise.

Comprar significa impulsionar o sistema de produção, que por si só já impacta negativamente o meio ambiente, sem falar no descarte dos materiais. As fantasias de carnaval à venda geralmente são feitas com muito material sintético, o qual demora muito tempo para se decompor, sem falar naquelas que são feitas de puro plástico.

Há várias fantasias bonitas que você pode fazer com itens que, certamente, você tem no seu armário. Por exemplo...

1.1. Bruxa

Com um vestidinho preto ou uma camiseta e um short pretos, você já pode começar a montar o look de bruxa. Para fazer o chapéu, você pode utilizar uma cartolina preta. Confira aqui como fazer um chapéu bem bacana para completar a sua fantasia de bruxa.

1.2. Cowgirl e cowboy

Uma camiseta ou regata, um short jeans e um chapéu de abas largas são suficientes para essa fantasia rústica. Você pode ainda usar uma corda para dar um toque final à composição.

1.3. Outras sugestões

Veja no link abaixo mais sugestões de fantasias que não impactam o seu bolso nem o meio ambiente.

2. Adereços + confete e serpentina

Os maiores vilões do carnaval são os adereços de fantasias, os acessórios etc, cuja maioria é feita de plástico bem baratinho para que você não pense duas vezes em comprar, e descartar depois de 4 dias. Muitos destes produtos não são recicláveis e vão ficar por aí, no ambiente, pulando carnaval durante séculos para se decompor. 

O confete não seria tão impactante se fosse feito apenas de papel (não aquele brilhante, feito de plástico) e se não fosse a quantidade dele usada no carnaval, sem contar o plástico que o embala. O mesmo com relação à serpentina. Olha que ideia bacana divulgada no Facebook...

 

3. Zero plumas, paetês (plástico) e glitter

Infelizmente as escolas de samba usam plumas de aves para enfeitar suas fantasias. Os animais sofrem muito com a retirada de suas penas e plumas. Evite contribuir com o sofrimento animal.

Substituir penas e plumas por similares sintéticos também não é uma boa opção, porque o descarte desses materiais implica em não reciclagem e em logo tempo de decomposição. Uma solução poderia fazer você mesmo penas e plumas de papel (o papel tem menor impacto), se tiver mesmo que compor uma fantasia, por exemplo de índio ou de ave. No youtube existem vários tutoriais para fazer penas de papel.

Mesmo que o carnaval seja uma festa cheia de brilhosidade, o paetê e o glitter devem ser abandonados, para você de fato brilhar! Eles são puro plástico, que demora cerca de 400 para se decompor.

Por ser extremamente pequeno, o glitter não é filtrado pelo sistema de tratamento de esgoto, indo para rios e mares. O plástico é o maior poluente do oceano, e o glitter é um "microplástico" produzido a partir de placas de PET ou PVC, que são metalizadas com alumínio, e, depois, tingidas com cores diferentes.

Várias pesquisas têm revelado o impacto de plástico e microplástico para o meio ambiente e para a nossa saúde. Por isso, evite o quanto puder esse material na sua vida, inclusive, durante o carnaval.

4. Sexo seguro

Agora que você sabe que uma fantasia bonita é aquela que não tem plástico, há outra atitude muito importante para ser tomada durante o carnaval que também interfere no meio ambiente: fazer sexo seguro.

Talvez um dos maiores impactos ambientais que alguém pode causar em vida é ter um filho. Pense nos recursos que uma pessoa a mais no mundo consome. Além do custo financeiro, há um custo emocional enorme para quem não planejou um filho. Sem falar nas doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).

Não apenas a AIDS deve ser uma preocupação para o folião, mas também a sífilis, gonorreia, herpes. Muitas DSTs estão sendo difíceis de curar por causa da resistência aos antibióticos, e este é também um dos impactos ambientais causado pelo uso irresponsável destes medicamentos, inclusive na criação de animais para abate.

Por isso, não esqueça de levar junto consigo CAMISINHA. Ahh... e não adianta só levá-la, é para usá-la. 

E usá-la com quem quiser usá-la com você, óbvio. O carnaval é uma época onde acontecem muitos assédios a mulheres. Para coibir abusos contras elas, no carnaval de 2018, foi lançada a campanha "Não é não!" com a distribuição de adesivos com essa frase para que fique mais claro ainda que, após um não, começa o assédio. 

Carnaval só se for com muito amor, alegria e respeito, ao meio ambiente e às pessoas.

5. Vai fugir do carnaval?

Há quem não goste de carnaval, multidão e confusão e prefira ficar recluso em casa ou refugiado na natureza. Se esse é o seu caso, não faltam opções para você aproveitar o feriado de carnaval para descansar.

Existem vários lugares no nosso país aonde você pode ir sem que haja rastro de carnaval. Aproveite para conhecer uma nova cachoeira, fazer um trekking ou, até mesmo, ficar em casa desancando, lendo um livro, vendo uma maratona de séries ou de filmes.

E, se for viajar ou curtir a folia em sua cidade, regras de boa convivência e de respeito ambiental nunca devem ser esquecidas, nem no carnaval nem no dia-a-dia. O Decálogo do Turista Responsável traz dicas que devem ser seguidas por qualquer viajante, mas, também, muitas delas podem ser adotadas por moradores das cidades.

Confira:

1. Informe-se sobre como funciona a coleta de lixo na cidade onde você for passar férias.

2. Faça uma mala com menos coisas que possam ficar ali como lixo (use lenço de pano em vez de papel, coletor menstrual, fraldas de pano, etc).

3. Evite comprar baboseiras que apenas poluem. Dê valor aos produtos locais que fomentem a economia local.

4. Em piquenique ou na praia, lembre-se sempre de levar uma sacola extra para armazenar todos os resíduos e depois jogá-los em seus devidos lugares.

5. Evite ao máximo fumar e deixar as bitucas por aí (fumar faz mal ao ambiente além do pulmão de quem fuma e de quem está perto fumando passivamente).

6. Escolha destinos de baixo impacto ambiental e prefira estruturas para se hospedar possivelmente com certificações ecológicas e que sejam integradas ao contexto natural do lugar.

7. Prefira se locomover, se possível, com meios não poluentes, como bicicleta e/ou a pé.

8. No restaurante, se você não comer toda a comida, peça a famosa bag-dog e leve as sobras para casa para comer no dia seguinte. Não desperdice alimento, desperdiçar alimento também é desperdiçar água!

9. Não desperdice os recursos naturais locais: feche a torneira sempre que não a estiver usando (lavando dentes, ensaboando mãos, ensaboando-se no chuveiro, etc).

10. E não é porque você está pagando que vai abusar no uso da luz e do ar condicionado. Desligue tudo o que não estiver usando e poupe energia, independentemente do quanto ou quem paga, pois a conta verdadeira é a natureza quem recebe.

6. Água x Álcool

Com esse calor, não esqueça de se hidratar, sobretudo, quem bebe bebidas alcoólicas. Alimente-se bem antes de beber e tome água natural e água de coco. Evite, também, dar vexame e pagar mico bebendo além da conta. Além de perigoso, isso só estraga a diversão, sem falar na ressaca no dia seguinte no dia seguinte – física e moral.

No mais, jogue o lixo no lugar certo e reduza o tanto quanto possível o teu impacto neste carnaval.

Agora, sim, você tem todas as informações para curtir a folia ou descansar!

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!