Conheça a prática indígena do Fogo Amigo

prática indígena do Fogo Amigo

Queimadas. Apenas uma palavra, já traz a nossas mentes uma série de significados. Em sua maioria, são sinônimos de tragédias ambientais e emissão de gases do efeito estufa.

Entretanto, nos últimos tempos tem-se percebido uma forma absolutamente equilibrada de se utilizar as queimadas na natureza. Trata-se de uma prática indígena, denominada de Fogo Amigo. Há indícios que apontam que a queima de grandes áreas, dentro do cerrado é positiva ao bioma, oferecendo a fauna e a flora desses ambientes.

O fogo e o povo indígena xavante

Essa questão começou a ser mais apontada, pelo fato de que, desde 2007, os índios xavantes, no Mato Grosso, têm queimado cerca de 370 mil hectares de cerrado, ou 83% da área total da reserva federal em que estão. A motivação dos índios é a de caçar animais, que ficam acuados com as chamas e se desgarram dos grupos, facilitando a caça.

Função do fogo para vários povos indígenas

Além dos xavantes, os crahôs, os caiapós e os canelas também utilizam o fogo para: rituais religiosos, tratamento de terra de plantio e caçar. As queimadas são feitas sempre de forma controlada e estratégica, e o processo se dá da seguinte forma: é feito um círculo de fogo, extensivo por uma grande área e aguardam os animais começarem a fugir.

O produto da caça é levado a casamentos, e também a ritos de passagem do jovem para a vida adulta.

Vantagens do fogo amigo indígena

A tradição pode ser vista como benéfica, com base em estudos da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) que, baseando-se em imagens via satélite da aldeia no Mato Grosso, nos últimos 40 anos, acabam por revelar que, mesmo sofrendo queimadas frequentes, a vegetação acaba se revelando melhor conservada, com um desmatamento que gira em torno dos 0,6% - bem diferente dos 26% a que chegam os patamares de desmatamento à volta desse lugar.

O fogo e o cerrado

O bioma do cerrado, especificamente, convive bem com o fogo. Desde as árvores, com grossos troncos, passando por frutos, com cascas resistentes, mostra que toda a vegetação é capaz de apresentar grande resistência. Inclusive, são áreas muito abertas, suscetíveis à incidência de raios, que acabam provocando queimadas naturais. Por isso, o fogo amigo promove renovação no solo.

Evidentemente, se tomarmos o exemplo de uma floresta imponente, como a Amazônica, o fogo se mostra extremamente prejudicial. Entretanto, o cerrado tem no fogo um aliado, para que haja o ciclo biológico completo. Assim, os animais se alimentam de vegetais e frutos melhores.

Além disso, outro benefício do fogo amigo é o de eliminar material seco da vegetação que, por si só, é ótimo combustível às chamas. Então, retirando-se tais elementos da vegetação, protege-se mais o bioma de queimadas desordenadas, já que as chamas se espalharão com menos facilidade.

Interessante!

Fonte foto: freeimages.com