Guadalupe, a moça que defendia a floresta mexicana, fora assassinada

  • atualizado: 
Guadalupe

Ela foi a primeira mulher a se tornar defensora da floresta em Michoacán, e passou a sua - curta - vida defendendo as árvores. Mas, nos últimos dias seu corpo foi encontrado ao lado da estrada Carapan-Paracho, a cerca de 100 km de Morelia.

Guadalupe "Lupe" Campanur Tapia tinha apenas 32 anos e sua única "culpa" foi a de querer defender as florestas das ecomáfias e do desmatamento.

De acordo com o procurador-geral de Michoacán, a morte de Lupe ocorreu entre 36 e 48 horas antes do seu corpo ter sido achado. A família não havia denunciado o seu desaparecimento mas as autoridades municipais de Cherán sabiam que a jovem não voltava pra casa já há alguns dias.

Lupe foi estrangulada e seu corpo foi abandonado ao lado de uma rodovia.

Sua morte teve forte impacto na comunidade, já que a jovem participou do processo de transformação do município e começou a trabalhar por um período como um guarda florestal, além de ter fundado a organização Ronda Comunitaria.

guadalupe 2

O município nativo de Cherán, em Michoacán, é um exemplo único de autogoverno no México. Os habitantes se rebelaram há seis anos contra seus governantes e contra os criminosos que faziam da exploração madeireira ilegal, uma das principais atividades comerciais da região. Eles organizaram seus órgãos governamentais e criaram patrulhas para evitar a devastação de suas florestas. Os habitantes que ajudaram a transformar Cherán geralmente se referem à redução da violência como um dos principais indicadores do sucesso da experiência: o último assassinato ocorreu em 2012.

Por esta razão, a notícia da morte de Guadalupe foi um golpe para a comunidade, que reviviu os tempos em que os assassinatos estavam na ordem do dia.

A notícia da morte de Guadalupe voou rapidamente das fronteiras do México e fez o giro das redes sociais, onde muitos pedem justiça à jovem.

No entanto, serão necessárias mais investigações para encontrar os culpados. As autoridades estaduais abriram uma investigação para esclarecer os fatos.

guadalupe 3

Fonte foto

"O reconhecimento do que ela fez para a comunidade deve ser transmitido", escreveu o Consejo de Jóvenes Cherán K'eri, do qual Lupe era membro. "Dói ainda mais porque ela era uma das jovens que ousava fazer o que queria, desafiando os poderes sem ter medo de dizer o que pensava ... Como comunidade, continuaremos pedindo por justiça".

Leia também:

BRASIL É O PAÍS MAIS VIOLENTO PARA DEFENSORES DO MEIO AMBIENTE