Desmatamento na Amazônia aumentou ainda mais em 2016

  • atualizado: 
Desmatamento

Os últimos estudos sobre o desmatamento na Amazônia vêm demonstrando como ele aumentou nos últimos anos. Em 2015, o Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) já havia divulgado que o aumento no desmatamento da floresta amazônica foi de 24%. Em 2016, as taxas aumentaram ainda mais: 29%.

De acordo com a EBC, a taxa de remoção por corte raso, que se refere à remoção de toda a vegetação de uma área, foi de cerca de oito mil quilômetros quadrados entre agosto de 2015 e julho de 2016.

O Pará continua sendo o estado com as taxas mais elevadas de desmatamento, com mais de 3 mil quilômetros quadrados. Mas o estado do Amazonas apresentou o maior aumento de devastação, 54% superior ao período 2014-2015. Acre e Mato Grosso registraram queda nas taxas de desmatamento.

Organizações ambientais manifestam-se sobre o aumento

O aumento da taxa de desmatamento é inaceitável! Não deveria ter subido nem 1% quando os 29% já superam o aumento descabido do ano anterior. É descaso atrás de descaso e uma grande falta de compromisso com nossos bens naturais.

Várias organizações de defesa do meio ambiente se posicionaram sobre esse quadro, entre elas o Greenpeace, que interpretou os dados como uma falta de interesse do governo em lidar com o desafio da preservação ambiental.

O Instituto Socioambiental lamentou os dados e disse que eles mostram a incapacidade do Brasil em cumprir seus compromissos de acabar com as derrubadas ilegais no país até o ano de 2030.

O monitoramento das áreas é feito por satélite, pelo projeto PRODES, desde 1988. As taxas anuais de desmatamento na região amazônica são usadas pelo governo brasileiro para estabelecer políticas públicas de preservação.

O projeto PRODES atua em colaboração com o Ministério do Meio Ambiente (MMA) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e está inserido como ação do Ministério de Ciência, T Tecnologia e Inovação (MCTI).

Confira aqui o gráfico de monitoramento com as Taxas PRODES 2004 a 2016.

Especialmente indicado para você:

DESMATAMENTO REDUZ CHUVAS E GERA CRISE HÍDRICA

DESMATAMENTO ZERO! A NORUEGA É O PRIMEIRO PAÍS A ABOLIR O DESFLORESTAMENTO

GARIMPO NO BRASIL E NA AMÉRICA DO SUL: DESMATAMENTO ENORME

ESPECIALISTA ACREDITA QUE ACABAR COM O DESMATAMENTO É UM COMPROMISSO PARA ANTES DE 2030

QUANDO HOUVE MENOS DESMATAMENTO NO BRASIL?

KÁTIA ABREU DEFENDE DESMATAMENTO

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!