Desmatamento na Amazônia aumentou em 2015

desmatamento

O Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) divulgou dados de um estudo preocupante: o desmatamento na Amazônia aumentou em 2015, comparado a 2014. O aumento no desmatamento da floresta foi de 24% devido à derrubada de 6.207 km² de mata entre os meses de agosto de 2014 e julho de 2015. Desde 2011, essa foi a maior taxa registrada. Os dados foram obtidos pelo Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes).

Só para você ter uma noção, esses 6.207 km² equivalem a cerca de quatro parques Ibirapuera, em São Paulo. De acordo com matéria publicada na Folha de S. Paulo, Thelma Krug, diretora do Departamento de Políticas para o Combate ao Desmatamento do Ministério do Meio Ambiente (do DPCD), afirma que esse dado isolado não deve ser visto com preocupação, já que deve ser levado em conta, para título de comparação, a queda de 42% do desmate em 2009.

O estudo do Inpe foi feito com a ajuda de 214 imagens de satélite. A taxa foi estimada com base em 96 imagens que cobriam a região onde foram registrados mais de 90% de desmatamento no ano anterior, além de levar em conta os municípios onde a fiscalização é maior.

Dalton Valeriano, representante do Inpe, disse que é preciso ultrapassar a taxa dos 5 mil km², pois, caso contrário, a meta de 2020 não será alcançada, que é de menos de 4 mil km², segundo informa a EBC.

Onde ocorre mais desmatamento

O estado que bate recorde de desmatamento ilegal na Amazônia é o Pará, embora para Valeriano os estados que devem receber mais atenção sejam Mato Grosso e Amazonas, porque o retorno deles é mais lento e constante. Ele explica que as ações de desmatamento nesses dois estados são pequenas, mas já vêm ocorrendo há muito tempo.

O Prodes calcula o desmatamento em áreas maiores que 6,25 hectares onde tenha ocorrido remoção completa da cobertura florestal. 

Como combater o desmatamento

O secretário de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental do MMA, Everton Lucero, destaca a importância de as autoridades legais fornecerem dados atualizados sobre o desmate legal de vegetação, pois a atual taxa não distinge o desmatamento ilegal do desmatamento autorizado pelos órgãos estaduais. Além de criar mecanismos mais eficientes para combater o desmatamento ilegal, são necessárias políticas públicas que garantam que a redução do que é legal não traga prejuízos para a atividade econômica.

Acompanhe aqui os dados do desmatamento por ano e estado.

Especialmente indicado para você:

OS 10 PRODUTOS MAIS COMUNS QUE CONTRIBUEM PARA O DESMATAMENTO

GARIMPO NO BRASIL E NA AMÉRICA DO SUL: DESMATAMENTO ENORME

EFEITOS DO DESMATAMENTO: 4 IMAGENS CHOCANTES QUE INFELIZMENTE RETRATAM A REALIDADE