Banco Mundial alerta que escassez de água afetará o crescimento econômico

água

Que a questão da escassez de água em breve será um problema que o mundo enfrentará não é uma novidade. Além de a falta de água afetar o cotidiano das pessoas, vai afetar, também, as atividades econômicas do mundo, segundo o Banco Mundial.

Segundo a instituição, algumas regiões do mundo, até 2050, terão suas taxas de crescimento reduzidas em até 6% de seu Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todas as riquezas produzidas por um país. O Banco Mundial afirma que esse é o cenário esperado caso não seja adotada uma outra política de gestão da água no mundo.

O banco relata no documento High and Dry: Climate Change, Water and the Economy que as mudanças climáticas terão impacto, em primeiro lugar, na água, provocando consequências na agricultura, na energia, nos sistemas urbanos e ambientais.

Se a população não para de crescer e vive em cidades cada vez maiores, haverá um aumento no uso da água, que ficará mais escassa, segundo o relatório.

Outro ponto alertado pelo documento é a respeito da redução da água doce devido ao uso dos setores energéticos e da agricultura deixar as cidades com até dois terços a menos de água, em relação a 2015.

Se a política de gestão de água continuar a ser implementada como é e se as previsões climáticas se confirmarem, a escassez de água vai piorar a realidade de países da África e da Ásia Oriental, que já enfrentam esse problema, e ser agravada a situação de países do Oriente Médio.

Sobretudo essas regiões terão o seu PIB reduzido até 2050 por causa dos efeitos da falta de água na saúde, agricultura e economia.

Se os países mudarem a sua política de gestão da água, o problema pode ser neutralizado. O relatório destaca que as populações mais pobres serão mais afetadas pela escassez de água, pois dependem mais da agricultura familiar, que utiliza a água da chuva, e costumam viver em áreas que correm risco de inundações e, por isso, são mais vulneráveis a ter problemas de saúde causados pela ausência de saneamento adequado.

Outro questão levantada pelo relatório é que a falta de água pode levar a fluxos migratórios, aumentando o conflito já existente hoje no mundo, além de provocar o aumento no preço de alimentos.

O documento destaca que “é por isso que a gestão da água será crucial para o mundo alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e as aspirações a uma redução da pobreza e a uma maior prosperidade partilhada”.

A água é uma moeda que afeta a vida de todos. Por isso, melhorar o seu uso com o planejamento responsável e expandir a disponibilidade e quantidade de água são ações propostas pelo Banco Mundial para a melhor gestão dos recursos aquíferos para o futuro.

Leia também:

setaPLANTAR ÁGUA É POSSÍVEL, ENSINA A PERMACULTURA

setaÁGUA VIRTUAL: UMA DAS GRANDES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS

Fonte: agenciabrasil