Relatório expõe aspectos dos direitos humanos no acidente de Mariana

A ONG Justiça Global lançou, semana passada, o relatório Vale de Lama, que aborda o desastre do Rio Doce sob uma perspectiva dos direitos humanos.

Vale de Lama é um trabalho de resgate, por meio de entrevistas diretas, do sentir do povo de Mariana - MG, afetado pelo rompimento da barragem de rejeitos da Samarco.

Palavra a palavra, lágrima a lágrima, sentir a sentir. Neste relatório, que você pode ler aqui na íntegra, estão compiladas as situações vividas pelos moradores das áreas destruídas pela lama da mineradora.

Muitas perguntas ainda sem respostas: por que as sirenes não tocaram? Por que a Samarco não avisou os moradores à jusante da barragem de que havia risco iminente? E o plano de segurança? E o treinamento da população para situações de risco potencial?

E o licenciamento prévio, atropelado, sem consistência, sem projeto executivo, sem projeto de drenagem, sem estudos geológicos consistentes?

Muitas perguntas ainda sem respostas. E os mortos não serão revividos nem o rio voltará à sua vida de antes.

Mas, o relatório Vale de Lama poderá ajudar, contribuir para a discussão e análise das situações reais, que são vistas e vividas somente por aqueles que sofreram o impacto direto.

A ONG Justiça Global já tem um longo histórico de trabalhos que criticam os impactos socioambientais das grandes mineradoras no Brasil, especificamente da Vale e suas subsidiárias. Vale a conferência, vale a reflexão.

E, esperamos que o Ministério Público de Minas Gerais conclua uma boa investigação sobre as falhas do processo de licenciamento ambiental da Samarco. Que os culpados assumam suas responsabilidades.

Mãos à obra para a recuperação da área afetada.

Bacia do Rio Doce, viva outra vez.

Leia também:

ACORDO JUDICIAL VAI RECUPERAR A BACIA DO RIO DOCE

SAMARCO É INDICIADA PELA POLÍCIA FEDERAL POR CRIME AMBIENTAL