Quantas árvores são necessárias para recuperar os rios do Pantanal?

Desde que a seca em várias regiões do país começou há dois anos, uma das discussões mais clementes foi a respeito da falta de árvores nas cidades como São Paulo, que poderia ter o problema atenuado se tivéssemos mais arborização na capital paulistana. Levando o assunto lá para as regiões de cima do país, um estudo encomendado pelo WWF-Brasil e executado pelo Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (Cepan) revelou que na recuperação de rios, serão necessárias 11 milhões de mudas de árvores e que além dos benefícios ambientais, a restauração de rios e nascentes é um bom negócio, pois gera emprego e renda para empresas e comunidades locais.

O estudo abrange 25 cidades do estado do Mato Grosso no qual estão presentes os rios Jaurú, Cabaçal, Sepotuba e Paraguai, rios que circulam a área do Pantanal.

O coordenador do programa Água para Vida da WWF-Brasil, Glauco Kimura de Freitas, falou sobre estudo e ressaltou a insistência da sociedade em derrubar florestas para plantar, construir casas e bairros, seguindo sempre o mesmo fluxo do capitalismo moderno, no entanto, como já falamos por aqui antes, passou da hora da economia entender que ela precisa andar no sentido contrário, se quiser continuar próspera.

"Hoje, estamos vendo e comprovando que manter e recuperar a floresta em pé tem sido um bom negócio e gera emprego. Essa é a mudança de cultura que queremos ver em nosso país. Através desse estudo que foi feito, dos projetos que se têm desenvolvido, nós estamos demostrando isso, pouco a pouco pra a sociedade”, afirma Kimura.

Kimura no entanto, faz questão de avisar: “precisa começar já!”. Como os fenômenos demonstram todos os dias, o status quo do meio ambiente não é eterno. A água potável não vai durar sem ajuda, o clima não se mantém inalterado e os desastres ambientais não têm data para acabar e nem diminuir.

Além disso, produzir um milhão de mudas não é um trabalho da noite para o dia. Não é simplesmente pegar um saquinho, cavar um buraco e colocar dentro.

Trata-se de uma tarefa complexa. De colheita da semente escolhida, tratar a semente, germinar a semente até que se torne uma muda, e uma estufa é necessária para que isso aconteça para só depois seguir para o plantio.

Imagine então o trabalho de plantar 11 milhões de mudas? De mais de um tipo de semente? Exatamente por isso o pensamento de que a restauração de 11 milhões de árvores no Mato Grosso, represente a geração de empregos para milhares de pessoas.

Pense então como seria se todo o planeta se conscientizasse de que precisamos preservar e restaurar o meio ambiente? Muitos empregos nasceriam, juntamente com a recuperação das chuvas, do clima, das lavouras e tudo que isso representaria para a economia mundial.

Leia também:

DESMATAMENTO NA AMAZÔNIA É DO TAMANHO DE SÃO PAULO

UNIÃO ENTRE PECUÁRIA ORGÂNICA E O ECOTURISMO NO PANTANAL

Fonte foto: wikipedia.org