Os povos antigos poluíam como nós

povos antigos

Os povos da Antiguidade viviam em perfeita harmonia com a natureza? Não exatamente!

Um fato extraído de uma recente pesquisa feita por um histórico do ambiente, Frank Uekötter da Universidade de Birmingham, e outros, revela que o homem sempre poluiu. O estudo denominado "Widespread pollution of the South American atmosphere predates the industrial revolution by 240 y" publicado na revista científica PNAS, revelou que os danos ambientais começaram a assumir características globais 2.000 anos atrás.

Os romanos a partir do século II d.C. deixaram 6,6 milhões de toneladas de resto de metais na Andaluzia.

Na Grécia, no século V a.C., das minas da Ática, uma região administrativa e histórica que engloba a cidade de Atenas, capital da Grécia, foram extraídas 450 mil toneladas de chumbo e 1.400 de prata.

Uekötter e sua equipe, descobriu nas múmias egípcias, vestígios de doenças pulmonares, inclusive câncer, devidas à qualidade péssima do ar. Nas casas das povos antigos, o fogo permanecia acesso por longas horas do dia, e existiam muitos fornos a céu aberto que queimavam metais e barro para fazer cerâmicas. 

Nas Américas idem. Nas geleiras do Peru, foram encontradas indícios de forte poluição no século XVI. Muito antes da revolução industrial, os espanhóis ali, liberavam na atmosfera uma enorme quantidade de chumbo.

Um ecólogo da Oxford University, Christopher Doughty, assinalou danos provocados pelos Maoris, o povo nativo da Nova Zelândia, desde o século VIII d.C, onde um terço das florestas pluviais neozelandesas, teriam sido queimadas pelo homem.

Será que ainda temos tempo para recuperar os antiquíssimos danos ambientais causados por nós mesmos?

Leia também: Os antigos egípcios eram vegetarianos

Fonte foto: wikipedia.org