Ambientalistas pedem um Plano para Proteção das Nascentes

  • atualizado: 

Ambientalistas pedem um Plano para Proteção das Nascentes

Os atuais problemas de estiagem em grande parte do Brasil, foram amplamente jogados “nas costas” de São Pedro, mas quem é minimamente informado sabe que a questão vai muito além disso, e não apenas para o atual problema, mas também para o futuro das reservas hídricas do país. Pensando nisso a organização ambiental WWF-Brasil decidiu lançar um documento pedindo por um Plano Nacional para Proteção das Nascentes.

A petição é online e se encontra no site da entidade solicitando urgentemente um Plano Nacional para a recuperação e proteção das nascentes, rios, lagos, córregos e diversos mananciais. Segundo a WWF-Brasil, o plano ajudaria a melhorar a oferta e a qualidade da água para consumo e também na garantia de água para o extenso mercado da agricultura brasileiro, que se tornou o maior consumidor de água potável do país.

Segundo o coordenador do Programa Água para a Vida do WWF-Brasil, Glauco Kimura de Freitas, a crise hídrica no Sudeste não pode ser posta na conta de “São Pedro” pela falta de chuvas, e sim o desmatamento e a degradação das nascentes dos rios. Entre todas as soluções apontadas pelos especialistas envolvidos na busca por uma solução da crise, nenhum deles elaborou absolutamente nada que possa ajudar o meio ambiente e, consequentemente, melhorar a oferta de água.

Kimura ainda critica as obras de infraestrutura como única solução prometida pelo governo estadual de São Paulo, sempre pensando em obras de infraestrutura, novos reservatórios e transposição de águas de um manancial para outro, como a proposta de transportar água da represa Billings para o abastecimento de parte da população que recebe água do sistema Cantareira.

Ele também alerta para o fato de que só chuva não enche reservatório, pois as nascentes dos rios que abastecem os sistemas estão degradadas. Ele não poderia ter mais razão nisso. Basta ver o aumento no nível do Cantareira e outros sistemas nos últimos três dias, mesmo sem chuva. Isso ocorre por conta da água acumulada dos rios, lagos, mananciais e nascentes que “entregam” água nesses reservatórios.

A petição da WWF-Brasil ficará online para assinatura de todos até o começo do mês de junho e sua meta é alcançar 50 mil assinaturas. Depois da meta atingida, o documento será encaminhado para a Presidente Dilma Rousseff para que ela tome as medidas cabíveis ao Poder Executivo.

Kimura finaliza falando sobre a Hora do Planeta” deste ano, que será comemorada no dia 28 de março, e que nessa edição, o objetivo é chamar a população para apagar as luzes das 20:30 às 21:30 em mais de 108 cidades em todas as regiões brasileiras, mas também convocar o povo para assinar a petição, classificada pela WWF-Brasil como essencial para o futuro das próximas gerações.

Assine a petição clicando aqui.

Fonte foto: wwf.org.br