Pesquisa afirma que 23% da água nos rios é ruim ou péssima

23% da água nos rios é ruim ou péssima

Como você já deve saber, estamos vivendo um período de estiagem em alguns estados brasileiros, como São Paulo e Rio de Janeiro, o que atiçou ainda mais o interesse sobre os rios que abastecem a população. Pois uma análise determinou o grau de poluição de 111 rios do país.

A análise foi feita pela ONG Mata Atlântica e revelou que 23,3% dos rios têm água ruim ou péssima para consumo. Seguindo a legislação brasileira, as águas em situação de qualidade tão precária não podem sequer receber tratamento para o consumo humano ou para irrigação de lavouras.

A pesquisa coletou água de 301 pontos de rios e mananciais do Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Distrito Federal, durante os meses de março de 2014 e fevereiro de 2015, e tendo seus resultados divulgados no dia último dia 18.

A divisão entre o que era péssimo, ruim, regular e de boa qualidade, cujos parâmetros são estabelecidos pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), ficou assim: 21,6% dos pontos de coleta, a água foi considerada ruim, e em 1,7%, péssima. Em 186 pontos (61,8%), os pesquisadores encontraram água considerada regular e 45 pontos (15%) mostraram boa qualidade. Nenhum dos rios pesquisados alcançou o índice “totalmente limpa”.

Ironicamente, a seca em São Paulo foi responsável pela queda nos índices de água ruim ou péssimo de 74,9% para 44,3%, na comparação com a análise anterior, feita nos mesmos meses dos anos 2013 e finalizando em 2014. Também subiu o percentual de água regular ou boa de 25% para 55,4%.

Malu Ribeiro, coordenadora da Rede de Águas da SOS Mata Atlântica, explicou porque a seca ajudou na melhora dos índices de qualidade dos rios paulistas: “A seca no estado diminuiu o escoamento para os rios, o que protegeu os cursos d'água da poluição. Com a seca, os pontos monitorados deixaram de receber resíduos sólidos ou lixo, sedimentos com solos contaminados, fuligem de veículos e materiais particulados”, disse.

Já no Rio de Janeiro, o índice piorou. Entre 2014 e 2015, a qualidade dos rios cariocas com percentual ruim subiu de 40% para 66,7% em relação a composição anterior.

De forma geral, a SOS Mata Atlântica indica que a poluição dos rios ocorre pela falta de investimento em saneamento e no tratamento d'água, ao desmatamento e à perda da mata ciliar (vegetação nas margens dos rios). Para Malu, a qualidade dos rios e seus fatores estão conectados com a seca atual em diversas partes do Brasil: o problema não é falta de chuva, é que as águas que existem estão poluídas”, finalizou.

Que triste!

Leia também: Como purificar a água com frutas e suas...cascas!

Fonte foto: freeimages.com