Mudança climática: nascem menos meninos no Japão

  • atualizado: 

bebe japones

Uma investigação científica, que foi publicada no jornal Fertility and Sterility, revela que mudanças no clima global podem estar no cerne de uma questão bem particular: o decréscimo de nascimento de bebês do sexo masculino no Japão.

O estudo, realizado pelo Dr. Misao Fukuda, liga esse contexto às fortes variações de temperatura verificadas na terra do sol nascente.

Foi utilizado, para a análise, o período temporal compreendido entre 1968 e 2012. Fukuda, então, partiu do pressuposto do verão de 2010 e do inverno de 2011, em paralelo a outro dado importante: o aborto espontâneo de bebês de até três meses de gravidez.

Com o aumento da morte de fetos, pode-se, 9 meses depois, verificar uma diminuição no nascimento de bebês do sexo masculino. No inverno seguinte, observou-se o mesmo padrão.

Entretanto, Fukuda não utiliza, em sua hipótese, apenas o clima como paradigma, mas também a poluição e os terremotos, tornando a análise ainda mais plural e complexa.

Ao final do estudo, fica a sensação de que isso é possível pelo fato de que o organismo masculino, quando em estágios iniciais de desenvolvimento, apresenta uma vulnerabilidade superior em relação à vulnerabilidade apresentada pelos organismos femininos, no que se refere aos fatores externos, como a mudança climática e seus efeitos.

Leia também: Sangue e personalidade: a teoria que associa o tipo sanguíneo com as características de cada um

Fonte foto: freeimages.com