Elevação do nível do mar é mais rápida do que o previsto

Elevação do nível do mar é mais rápida do que o previsto

Os mares e oceanos estão em elevação, o que pode ameaçar cidades costeiras de todo o planeta, certo? Sim, isso todos sabemos e vimos quais seriam as "atlântidas do século XXI". Mas a novidade mais recente a ser constatada pela ciência é ainda mais grave: a elevação tem se dado de maneira mais rápida e crítica que o previsto.

Sobre isso se detém uma pesquisa recentemente publicada na revista Nature.

Tanto nos anos 90, quanto na década de 2000 o fato é que o aumento do nível mar é muito mais expressivo do quanto se considerava anteriormente. Assim, revelou-se que, apesar de no período 1900 a 1990 ter se superestimado o crescimento de mares em 30%, nos últimos 20 anos o cenário se modificou, aproximando-se da previsão, o que serve para exprimir a intensificação do processo do aumento da altura das águas.

Em suma, esse é um problema maior do quanto se imaginava.

Além disso, a alteração de perspectiva nos estudos sobre o avanço dos mares ainda guarda um segundo problema – para além da questão prática sobre o clima e as cidades litorâneas – que é justamente todo o paradigma teórico que se utilizava, até então, para se balizar toda projeção e análises sobre o tema.

Isso pode, inclusive, levar a uma maior dificuldade em orientar como as cidades próximas aos mares poderão se defender dos efeitos nocivos da elevação dos mares.

Os cientistas, portanto, estupefatos com a descoberta, correm contra o tempo para poder buscar novas formas, mais precisas, de avaliação sobre a questão marítima, já que se tem a noção, atualmente, de que regiões geladas como a Groenlândia derretem em ritmo superacelerado, liberando quantidades elevadas de água, o que coopera para o aumento de volume dos mares.

Leia também:

As “atlântidas”do século XXI. Aquecimento global e nível das águas

Degelo e diminuição de neve são alarmantes

Fonte foto: freeimages.com